Os velhos tempos: X-Men 2 – Clone Wars (Mega Drive/Genesis)

O ano era 1995 e os X-Men eram os heróis da década, parte pelo boom dos quadrinhos na época, parte pelo desenho animado de 92, responsável por uma geração de muleques que começaram a acompanhar as aventuras dos heróis (eu incluso). A Capcom tinha lançado no ano anterior um dos melhores jogos baseados nos personagens, e também um dos bons jogos de SNES (pelo menos um dos destaques da geração). A própria Sega já tinha sido feliz com um jogo divertido de X-Men de 1993. Eu só fui jogar mesmo em 98. Nunca tive um Mega Drive, mas um amigo que eu não via fazia quase um ano tinha alugado o jogo e fui com mais outro amigo visitá-lo, jogamos muito, o resultado é que depois disso ainda aluguei ele com esse outro amigo de novo e só com isso e mais umas manhas, que vergonha, conseguimos terminar. Esse jogo me traz muito boas lembranças.

A capa não era das melhores, mas o jogo. E apesar de estarem na capa, Jean Grey, Bishop e Tempestade não são personagens jogáveis

A base do enredo é de referência total à saga Aliança Falange (Phalanx Convenant, no original), onde uma raça alienígena com características tecno orgânicas que possui consciência coletiva ameaça adicionar os habitantes do planeta à sua espécie. No meio disso tudo ficam os X-Men, que são um impecilho para a aliança, já que eles não conseguem ainda mesclar mutantes a espécie.

A Sega trabalhou bem a linguagem de quadrinhos no jogo, você põe o cartucho, aperta power, logo de cara já começa com um dos personagens (Gambit, Noturno, Psylocke, Ciclope, Fera ou Wolverine, e posteriormente Magneto) em missão em um cenário de nevasca, você já começa controlando, sem saber PN do que aconteceu, se pegou uma cópia pirata em que caparam a abertura nem nada, assim que você completa a primeira missão entra a história explicando que você estava em missão investigando algo e só então entram a marca da Sega, da Marvel, o título do jogo, etc. O feeling de “que porr@ é essa que tá rolando?” é o mesmo da saga nos quadrinhos, já que a assimilação da Falange na história é feita de forma furtiva, com os personagens sem saber o que está acontecendo, só achando que tem algo estranho.

Ao longo do jogo você enfrenta diversos inimigos conhecidos do universo dos mutantes, sendo um deles, o Magneto, que acaba se unindo a você em sua missão, já que o planeta inteiro está ameaçado. Sentinelas, Exodus, Tusk e mesmo Apocalipse dão o ar da (des)graça nas diversas missões do jogo.

Graficamente o jogo é inferior ao concorrente mutante da Capcom pro SNES do ano anterior, entretanto, é um dos jogos mais bonitos que joguei no Mega Drive, e um dos mais divertidos também. O melhor é poder jogar de 2, muito embora sejam sofríveis algumas missões pelo fato de não dividir a tela, e pela taxa de frames que cai um pouco em algumas cenas. O jogo também é difícil pacas, ele tem muitas vidas, mas conforme você vê a quantidade de missões, e muitas vezes, a dificuldade de algumas delas, você vai descobrir que o número de vidas é pouco. Só te digo uma fase como exemplo: a de fuga da base das Sentinelas explodindo, em que você tem tempo para sair, se estiver jogando de 2 então…

É isso pessoal, tirem a poeira do seu Mega Drive, ou comprem um pelo Ebay e peguem o jogo, eu posso ser fanboy dos X-Men, mas não acho um jogo bom somente por ter os personagens (eu estou olhando pra você, X-Men Des Bostiny)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: