Arquivo do autor:peganomeupixel

O que tem ainda de bom para ps3 e x360?

A nova geração chegou aí pra mostrar a que veio e apresentou um monte de novidades bacanas. Ao menos as do X1 você pode conferir a opinião de quem jogou em primeira mão com meu estimado amigo do controle que pluga na saída da direita, mas e pra galera (como eu) que não tem dinheiro ou coragem de investir nos altos valores de lançamentos de geração? Ainda tem coisa nova pra gente jogar? É claro que tem, serão um pouco mais escassos, mas não estamos ainda de fora da jogada, vamo nessa conferir algumas coisas que ainda estão por vir:

Dark Souls 2

As cria do tinhoso estarão de volta pra te infernizar a vida

As cria do tinhoso estarão de volta pra te infernizar a vida

Eu não podia deixar de começar com um dos games da velha geração que aguardo com maior ansiedade. Dark Souls 2 pretende trazer o sofrimento e a agonia de morrer pra baralho de novo na sua vida (isso foi paradoxal), então não pense que se livrou dos momentos de desligar o console de raiva depois de morrer pela décima oitava vez naquele desfiladeiro escuro onde você não vê nada mais do que 2 pequenos brilhos um pouco mais adiante, que de repente se apresentam como caveiras gigantes com armas do seu tamanho, você certamente ainda terá muitos momentos de trancar o boga de aflição com eles.

O game já tá em beta para donos do PS3 que pretendem levar na pré venda,  e até agora só ouvi elogios sobre o game. Pra quem tem uma verba e é um pouco mais fã do que o normal, a edição de colecionador do game é um tesouro a parte, contando com o game, disco de trilha sonora, livro de artwork, um mapa impresso em tecido e uma estatueta fodona. Um must have.

Essa estatueta fica bem na estante de qualquer um, até na da Dilma.

Essa estatueta fica bem na estante de qualquer um, até na da Dilma.

Dark Souls 2 tá previsto pra 14 de março e sai pra PC, Ps3 e X360.

Yaiba: Ninja Gaiden Z

Se fosse um filme, Yaiba acabaria com o estoque de ketchup e extrato de tomate do mundo pra jorrar tanto sangue.

Se fosse um filme, Yaiba acabaria com o estoque de ketchup e extrato de tomate do mundo pra jorrar tanto sangue

Esse pode até não ser dos títulos mais badalados, mas se você curte um bom hack and slash, e a série Ninja Gaiden, é bom dar uma conferida. Dirigido pelo mestre Inafune (Mega Man, Mighty No. 9), o game pretende ser um pouco mais colorido, com cara de hq animada e button masher do que os 3 antecessores em 3d. Você tá na pele do ciborgue Yaiba, que mata uma baralhada de zumbis alucinados em busca de sua vingança, e pelo que deu a entender até agora, o inimigo de Yaiba é o Ryu, protagonista da série tradicional.

Yaiba: Ninja Gaiden Z tem previsão de lançamento pra março de 2014 também e sairá pra Ps3, PC e X360.

TitanFall

Titanfall

Pipocos e mechs, esse mundo não fica melhor do que isso.

Não, você não leu errado, nem eu errei de geração. O game que eu mais aguardava jogar nessa nova geração, além da versão pra X1 e PC, também terá uma edição pro X360. Não se sabe que diferenças ela terá pras suas irmãs mais bombadas, mas imagino que uma engine com menos coisas se mexendo ao mesmo tempo, menos coisas se despedaçando, e nada de inteligência artificial na nuvem auxiliando nas coisas que acontecem no jogo. Ainda assim, pretendo jogar. Os vídeos de ação frenética que vi me deixaram bem empolgado pra deixar passar mesmo sendo uma versão inferior.

O game da antiga equipe do estúdio Infinity Ward, de CoD: Modern Warfare, tá previsto no x360 pra sair no dia 11 de março.

Dragon Age: Inquisition

Mais combates contra criaturas gigantescas

Mais combates contra criaturas gigantescas

Dragon Age é uma série que começou com um perfeito rpg aos moldes de Star Wars: Knights of The Old Republic e Baldur’s Gate, mas acabou sendo totalmente hostilizado em sua continuação quando resolveram simplificar tudo (inclusive o protagonista que não poderia mais ser escolhido raça ou origem para ele). Ainda assim, e mesmo vendo os primeiros vídeos de apresentação de Inquisition, a série merece atenção. Não imagino que a Bioware vai ser idiota o bastante pra cometer o mesmo erro 2 vezes e se apegar mais ao segundo do que o primeiro jogo.

A inquisição começa no final de setembro e sairá pra tudo que é plataforma.

Castlevania: Lords of Shadow 2

Foram necessárias 2 décadas e meia pra você poder jogar com o Drácula!

Foram necessárias 2 décadas e meia pra você poder jogar com o Drácula!

Muitos fãs torceram o nariz, outros adoraram, mas fato é que Lords of Shadow foi o jogo mais vendido da série. Não é um número gigante, mas conta muito né. Agora no papel de Drácula (porra, 20 e lá vai anos pra sair um Castlevania que te permitisse jogar com o fodão), você passará pelo seu castelo em 2 momentos, no presente e no passado. A trilha sonora revezando entre o orquestrado e o eletrônico pretende ajudar na diferenciação dos momentos. As câmeras foram ajustadas também, então você coloca ela onde quiser, e o jogo inteiro será um grande mapa, fãs de Symphony of The Night talvez gostem um pouco mais do game agora. Alucard, o filho de Drácula apresentado em Mirror of Fate tá de volta, e com ele um novo Belmont também.

Castlevania: Lords of Shadow 2 sai pra PC Ps3 e X360 em fevereiro.

Super T.I.M.E. Force

Quando Contra encontra Prince of Persia: The Sands of Time

Quando Contra encontra Prince of Persia: The Sands of Time

Talvez você não tenha ouvido falar da Capy, ou Capybara Games, como é o nome completo, mas entre a galera que curte jogos indies pergunte se já ouviram falar de Sword & Sworcery EP, para PC ou iOS. A Capy tem esse estilão pixelado em seus games e mesclar novas e velhas ideias em linguagens de games já conhecidas, e Super T.I.M.E. Force aparenta ser mais um deles. Pense em uma equipe militar com tecnologia de controle no tempo e você terá um Contra + PoP: Sands of Time. Se você morre com um personagem, o jogo volta até determinado ponto e você escolhe outro membro da equipe pra passar o ponto onde o anterior morreu, e consequentemente colocá-lo de volta na equipe.

O game é exclusivo do X360 e a Capy garante que ele sai ainda esse ano, eu duvido, mas não me oponho.

The Walking Dead: The Game – 2ª Temporada

twd6Não é bem um jogo novo, e ao mesmo tempo é, né? Agora sem o Lee pra proteger a pequena Clementine, ela tem que se virar pra sobreviver no meio da crackolândia. A segunda temporada parece ser mais tensa do que a primeira já foi e dispensa comentários se você deve ou não olhar pra ela.

A segunda temporada de Walking Dead sai no finalzinho do ano, aguardemos.

Gran Turismo 6

Não é do jogo essa foto, mas o Senna estará lá

Não é do jogo essa foto, mas o Senna estará lá

Me questionei muito se colocava esse game na lista, digo isso não por achar ruim ou preconceito com jogo de carro, mas é que ele já sai semana que vem, então não é bem um título futuro como os demais, mas tá aí.

Na sexta edição da série, além das pistas e carros novos, haverá um conteúdo extra do ex-piloto mais popular do Brasil e um dos mais do mundo, Ayrton Senna. A molecada talvez não dê a mínima ou nem saiba do que se trata direito, mas na infância e pré adolescência da minha geração e anteriores, as manhãs de domingo tinham um gostinho especial em ver a Fórmula 1. Pra se ter uma ideia do carisma da pessoa, o piloto era bem quisto até por quem não gostava de corrida.

Dia 6 do 12 e exclusivo para Ps3 (tem múltiplos de 3 demais nesses números, é algum sinal?) é o lançamento de GT6

Ace Combat Infinity

Hora de pilotar de novo

Hora de pilotar de novo

A Namco volta com mais um game da série de simulador de voo, a novidade agora é que o jogo é grátis. Sim, isso que você leu, ele é grátis. Só imagine que talvez ele seja como os joguinhos de celular e facebook, que são grátis, mas pra você liberar as coisas bacanas você tem que jogar milhões de horas ou gastar dinheiro. Sinceramente gosto da ideia de jogo grátis, mas não me agrada o caminho que esse tipo de coisa tá tomando, daqui a pouco todo jogo será assim e você vai gastar rios em armas, roupas, etc etc etc pra tudo que é jogo.

Ace Combat Infinity é exclusivo pra PS3 e sai agora no fim do ano também.

Lightning Returns: Final Fantasy XIII

Lightning Returns: Final Fantasy XIII

A Raio tá de volta

Não curti muito Final Fantasy XIII e sua continuação, então nem preciso dizer que minha expectativa por esse game é 0, mas ainda assim, Final Fantasy é Final Fantasy né, há de se esperar e testar antes de falar. Com a Lightning voltando como protagonista, e mais novos personagens e detalhes, Lightning Returns: Final Fantasy XIII é a conclusão da saga dos personagens desse linha de FF. Espero que seja melhor que os 2 anteriores.

A Volta de Ana Raio: Fantasia Final XIII chega em fevereiro e estará disponível pra PS3 e X360.

Bom, essa é uma pequena lista, ainda tem vários outros títulos a sair, inclusive alguns multiplataforma apresentados pra nova geração (Metal Gear Solid 5 e Watch Dogs eu tô olhando pra vocês), além dos já tradicionais jogos anuais ao estilo Fifa e Call of Duty, que devem demorar um pouquinho até desistirem da velha geração.

Curtiu a lista? Tem mais sugestões? Deixe sua opinião, crítica, trauma, felicidade, nos nossos comentários. Valeu!

assinatura pnmp

Anúncios

Excelsior! O que rola em Lego: Marvel Super Heroes

Sério Jean, o jogo é massa!

Sério Jean, o jogo é massa!

Já faz um tempo que a franquia Lego resolveu entrar  no mundo dos games utilizando uma abordagem diferente. Desde Lego Star Wars os jogos vem seguindo pra tudo que é rumo, algumas coisas mudam, outras permanecem, mas uma coisa é certa: franquia da Lego em videogames pra mim só se tornou interessante com essa adição do universo de filmes, animações e quadrinhos.

Reed Richards e Sue Storm dando um rolé por NY e dão de cara com um anúncio de Luke Cage e Punho de Ferro

Reed Richards e Sue Storm dando um rolé por NY e dão de cara com um anúncio de Luke Cage e Punho de Ferro

Não sou profundo conhecedor dos jogos da linha Lego, exceto por todos os 4 Star Wars (Lego Star Wars, Lego SW 2: The Original Trilogy, Lego SW: The Complete Saga e Lego SW3: The Clone Wars), e joguei um pouco aqui e ali de Senhor dos Anéis, Batman 2: DC Super Heroes, Piratas do Caribe e Indiana Jones, e francamente, não aprofundei muito na jogatina desses demais pra perceber muitas mudanças. Realmente nenhuma delas foi a ponto de dizer que são jogos completamente diferentes. Os inimigos ainda são fáceis, não existe aprofundamento na linha de aprendizado do jogo ou nas habilidades dos personagens e seu objetivo principal ainda é mais quebrar o cenário pra pegar pecinhas  e itens escondidos do que necessariamente derrotar seus inimigos, afinal é um jogo pra crianças, mas algumas coisas mudaram de forma positiva, a começar pelo mapa mundi. Em Lego Star Wars você tinha um cenário central (a lanchonete do episódio 2 ou a cantina do episódio 4) e entrava em determinadas áreas separadas por filme e por capítulo. Em MSH o seu mapa é a cidade de Nova York, com direito ao Aero porta-aviões da S.H.I.E.L.D., o edifício Baxter, lar do Quarteto Fantástico, ilha Ryker, a torre Stark, a Mansão X e a Mansão dos Vingadores, etc etc etc, inclusive o próprio edifício da Marvel. É um mapa relativamente grande pra um jogo de Lego, e com direito a esquema GTA onde você pode pegar o carro dos cidadãos emprestado (acredite, eles ficam até felizes de ajudar um super herói com isso!) e também encontrar um monte mini missões de corrida e coisas do tipo. O seu objetivo principal sempre terá um caminho no GPS indicando aonde é, mas qualquer volta no mapa é livre. Você também usa veículos conhecidos dos personagens como o Fantasticarro ou o Quinjet dos Vingadores.

O Sr. Fantástico dando um rolé no Táxi "Emprestado"

O Sr. Fantástico dando um rolé no Táxi “Emprestado”

Outra pequena mudança no jogo são as características dos personagens. Eu estava acostumado com os arquétipos padrão de Star Wars, onde você tinha Jedis, crianças  pequenas, dróides estilo R2, dróides estilo C3-PO, caçadores de recompensa, e atiradores comuns, onde cada um tinha características muito específicas deles mesmos, mas MSH dá uma quebrada nisso. Precisa escalar uma parede? Você pode usar o Wolverine com suas garras ou o Homem-Aranha que gruda na parede, mas se precisar puxar algo grudado na parede ou no teto, Wolverine não vai usar um cabo ou algo do tipo, como o Homem-Aranha ou o Sr. Fantástico podem fazê-lo com teias ou os braços esticados, nem esses 2 vão abrir portas onde são necessárias garras, como o Wolvie ou o Fera tem. Esse esquema de características que se embolam entre vários personagens deu um toque legal no jogo quando você quer usar equipes diferentes de personagens sem se prender aos arquétipos que os games Lego usavam.

Enquanto algumas paredes específicas podem ser escaladas tanto por Wolvie quanto o Maranha...

Enquanto algumas paredes específicas podem ser escaladas tanto por Wolvie quanto o Maranha…

... outras coisas só um ou outro podem fazer, como lhes são específicos.

… outras coisas só um ou outro podem fazer, como lhes são específicos.

Falando em personagens, cara o jogo tem vários deles. De Vingadores a X-Men, passando por Quarteto, Marvel Knights e mais uma rapaziada, sem falar nos vilões, o hall é imenso, e tenho certeza que ainda ficarão gente de fora.

Além dos vários personagens, o game ainda tem esquema de uniformes diferenciados, que contam como o mesmo personagem mas em outra versão. O Homem de Ferro por exemplo tem uma das armaduras que destrói objetos com raio de calor (objetos dourados) e as demais com mísseis que destroem objetos resistentes (indicados pela cor prata), o que te permite variar com o mesmo personagem.

Sério, olha a baralhada de personagens possíveis, e repare que na foto em destaque no topo, ficam ainda as caixas de uniformes diferentes a liberar no jogo

Sério, olha a baralhada de personagens possíveis, e repare que na foto em destaque no topo, ficam ainda as caixas de uniformes diferentes a liberar no jogo

Pra mim o principal ponto que a série Lego perdeu foi a adição de falas aos personagens. Ficou muito comum, embora os diálogos sejam sempre puxando pra comédia. Nunca esqueço de Lego Star Wars 2 quando Darth Vader vai contar pro Luke que é pai dele. Vader puxa um porta retrato do bolso com a foto dele como Anakin, junto da Amidala. Tive crise de risos com isso na época, o jogo tinha que se desdobrar pra desenvolver um diálogo sem usar palavras, e isso era bem legal. Além disso, sinto falta de um sistema de partida online, ou até da possibilidade de jogar em 4 pessoas. É um típico jogo “quanto mais gente bagunçando, melhor”.

Mas verdade seja dita, encontrei um bug extremamente chato. No capítulo 6, onde você invade uma base da Hidra com o Gavião Arqueiro e a Viúva Negra, existe um elevador logo no início da fase que teima em subir só a metade e desce de novo. Pelos fóruns do game na Steam e do gamefaqs que fui descobrir que se você baixar o máximo a resolução e tentar, uma hora ele acaba subindo tudo. Dar um bug que gere problemas em uma sidequest é uma coisa, mas um bug que trava completamente o seu jogo é outra e bem chata aliás. Tive que tentar algumas vezes até ele subir.

Outro erro chato que está acontecendo é que a versão da Steam não está reconhecendo conquistas, os produtores já prometeram uma correção disso o quanto antes, mas até agora nada, depois de TMNT: Out of The Shadows, parece que virou padrão games sairem com erros tão grosseiros assim, quem jogou Star Wars: Jedi Power Battles no psx deve lembrar também de personagens que travavam fora da tela ou morte que comiam 2 vidas antes de te devolver ao jogo.

Casal 20

Casal 20

O enredo é trabalhado em 2 planos até o momento, começa no plano de fundo, com Galactus, o devorador de mundos enviando seu arauto, o Surfista Prateado, pra procurar planetas e segurar sua fome insaciável, em seguida vem o primeiro plano do jogo: O Dr. Destino tem um plano para conseguir dominar o mundo através do cubo cósmico e pra isso conta com o recrutamento de uma gama de vilões conhecidos do universo Marvel para pô-lo em prática. Homem Areia, Dr. Octopus, Magneto, Fanático, Venom, Caveira Vermelha, Arnim Zola, Mandarim, Loki e muitos outros vão aparecer pra dar trabalho aos heróis.

O game saiu pelo preço internacional de 50 dólares, no Brasil estão dando uma de espertinho e cobrando 199 reais, como se ele seguisse o padrão de 60 dólares, mas se você não tem problemas em jogar esse tipo de jogo em um computador, na Steam ele já lançou em promoção de 50 por 45 REAIS. Eu gosto da série Lego (os de franquias famosas), mas é o tipo de jogo que atraso pra poder pegar quando tem uma promoção, e também o tipo de jogo que eu sempre darei preferência pras versões de console, mas por esse preço de lançamento, deixei de lado tanto os meus planos quanto os meus preconceitos e tô me divertindo.

Se a Tempestade usasse a Steam, certamente ficaria feliz com o valor do game cobrado lá

Se a Tempestade e o Groxo usassem a Steam, certamente ficariam felizes com o valor do game cobrado lá

Comentei sobre a versão principal, a dos consoles. Nos portáteis o jogo recebeu um subtítulo, ficando como Lego: Marvel Super Heroes – Universe in Peril, e a julgar pelas fotos do 3DS, a visão de jogo é diferente, o que provavelmente também deixará os comandos do jogo diferentes.

É uma boa ir voando pegar na Steam se você não tiver preconceitos com esse estilo de jogo no computador

É uma boa ir voando pegar na Steam se você não tiver preconceitos com esse estilo de jogo no computador

Pra um jogo de criança, Lego Marvel Super Heroes brinca com vários detalhes perceptíveis apenas por adultos, principalmente conhecedores dos personagens, e vale demais a experiência, mas não queira encontrar nele a complexidade de um X-Men Legends ou a versatilidade de Homem-Aranha Web of Shadows.

assinatura pnmp


Invader coloca pixels em Nova York

Invader em NY

O artista Invader está fazendo uma série de intervenções artísticas com ladrilhos e azulejos em Nova York. Quem anda pela cidade vai poder se deparar com Kirby ou o Donkey Kong no meio de grafites, cartazes ou pixações. 

O francês está na terra do Homem Aranha para o lançamento de seu curta Art4Space, na Jonathan LeVine Gallery.  Até o momento tem apenas 6 intervenções, mas a proposta é que ainda acrescente mais 20.

fonte: Ideia Fixa

assinatura pnmp


Ellen Page pra galera do Fap Fap em Beyond: Two Souls

Que Ellen Page seria protagonista no mais novo lançamento Beyond: Two Souls, da Quantic Dreams, de Heavy Rain, todo mundo deve estar sabendo, mas que ela estaria peladinha no jogo ninguém esperava. Bom, o caso é que é mais ou menos isso. No game tem uma sequência em que a personagem chega em casa e vai tomar um banho, na cena original que tá no jogo você não vê mais do que o ombro ou coxas e tornozelo da versão virtual da atriz, mas um maluco muito do campeão de calos no dedo e fricção peniana conseguiu extrair através de uma leve hackeada, algo mais dessa cena.

O que acontece é que durante a produção, programadores tem a “câmera” in ingame totalmente livre pra verificar detalhes e correr atrás de erros e retoques por todos os ângulos, o que o cara conseguiu foi exatamente essa liberdade. E assim, isso foi o que ele conseguiu:

Jodie Holmes peladinhaAgora você sabe (ao menos virtualmente) o que o Scott Pilgrim (Michael Cera) viu quando a engravidou em Juno.

PS: Vi alguns comentários sobre a necessidade da cena no jogo. Só tenho a dizer que sim, tem um apelo sexual nisso, mas a Quantic coloca uma cena de banho do mesmo jeito que coloca cena do personagem preparando o café da manhã, ou lendo o jornal, ou ligando o som pra ouvir música, ou seja, tudo pra te dar a sensação de entrar na pele do personagem e se sentir próximo com o que vai acontecer. E em termos de apelação sexual, ela fez o mesmo com Ethan Mars, protagonista de Heavy Rain, no qual até a bunda do personagem aparece, o que é mais do que a Ellen mostra em Beyond.

assinatura pnmp


O Luigi morreu :/

Danny Wells como Luigi

Danny Wells como Luigi

Existem alguns momentos em que cogumelos verdes não são mais o suficiente, e enfim é chegada a hora de partida desse mundo. Foi o caso do ator canadense Danny Wells. Boa parte dos gamers de hoje talvez nem tenham conhecido ele, mas se você é da época do programa da Xuxa e do início da Tv Colosso, você talvez tenha assistido o desenho do Super Mario. Lembrou disso? Lembra que no início e no fim de cada episódio rolava um programa com atores reais onde rolavam convidados, em que até a Cyndi Lauper apareceu? Pois é, aquele foi o Luigi que morreu.

Segundo o obituário em um jornal canadense, Jack Westelman, nome real do ator, faleceu na última quinta feira dia 28 aos 72 anos, embora não diga o real motivo. É uma ironia da vida muito esquisita e triste que no fim do tão falado “Ano do Luigi”, o ator venha a falecer.

Além do Luigi, Wells trabalhou também com dublagens de desenhos animados e outros games.

Descanse em paz Danny.

Abaixo um trecho do antigo programa

Fonte: Kotaku US

assinatura pnmp


Bomba ou nostalgia? Novo trailer do jogo do Rambo

Rambo

Final dos anos 80 e início dos 90 a onda era os games do gênero beat ‘em ups (ou andar e bater, como eu chamo), depois veio a geração jogos de luta. O estilo dessas 2 últimas gerações de consoles tem sido os shooters. E temos visto shooters de todos os tipos, com todas as esquisitices, metidos a filmes de guerra como Call of Duty, ou ficção científica (ou space opera, não consigo me decidir) como Halo, e até ficção científica com toques de sarcasmo como Borderlands. Enfim, tivemos de tudo que é gênero explorado, de Wolfenstein, Doom, Quake ou Blood até Far Cry 3, passando pelo Blood Dragon. Aí no fim dessa geração aparece a Reef Entertainment com um “novo” jogo de tiro e a gente se pergunta o que será que ele tem a acrescentar. Não cara, eu não acho que todo jogo tem que ser único e super fodão como os citados acima, mas o propósito dele tem que ser cumprido, o de ser divertido.

Pra tentar isso, a Reef resolveu tentar a chance com uma franquia de filmes extremamente conhecida pela rapaziada de pelo menos uns 30 anos de idade e que, sinceramente, me pergunto porque ninguém tentou algo com ela antes. Rambo é uma série de filmes sem história muito elaborada, divertido pra quem foi criança nos 80 e início dos 90, violento até dizer chega, mas de uma época onde não tinha muita preocupação no grau de influência que isso teria nas crianças. Confesso que pela nostalgia do personagem, tenho curiosidade de jogar isso, mas o jogo tá feio, e o trailer não mostra muita coisa da jogabilidade, então as expectativas estão lá embaixo.

Foge Rambo que esse jogo tá com pinta de bomba!!

Foge Rambo que esse jogo tá com pinta de bomba!!

Jogos baseados em filme geralmente tem tudo pra dar errado porque precisam seguir enredo próximo ao do original, mas como o filme geralmente ainda está em produção, muitas vezes nem os caras do estúdio tem muitos detalhes de como será pra fazer algo amarrado, isso desconsiderando o prazo que quase sempre é apertado para os eles. Mas esse não é o caso de Rambo, o jogo é baseado na antiga trilogia, não tem PN a ver com um possível filme novo, nem conteúdo do mais recente Rambo IV tem, então era de se esperar um esmero de quem tá dedicado a fazer algo pelo prazer de explorar aquele universo, vide The Warriors, da Rockstar.

Aliás, The Warriors é o exemplo perfeito, o jogo não é bonitão, mas a jogabilidade é ótima e a proposta é total do universo de gangues nos quais os personagens estão. No filme você acompanha uma gangue de Coney Island, bairro da cidade de Nova York, que foi a uma grande reunião das maiores gangues da cidade. Por lá deu uma grande merda, foram culpados pelo assassinato do chefe da gangue mais forte e influente da cidade, e precisaram voltar pro bairro deles do outro lado da cidade, tendo que enfrentar tudo que é gangue que encontrassem pelo caminho. No game, isso tudo que acontece no filme representa cerca de 30 a 40% no máximo do jogo, pois ele expande o universo do filme apresentando todos os membros, como a gangue se formou, desenvolvendo a personalidade deles e tudo mais. Você aprofunda a experiência do filme.

Meu ponto é: Rambo tentará fazer algo do tipo expandindo a experiência e o universo do filme? Será feliz nesse caminho? Não sei, afinal só temos poucos trailers e não dá pra julgar sem ter jogado ainda, mas que esse trailer não me passou muita confiança, não passou.

Ah é, curte aí e tire suas conclusões:

O game sai ano que vem pra PS3, X360 e PC.

PS: O jogo talvez não preste, mas eu queria na minha mesa do trabalho uma dessas miniaturas da pré venda.

Aceito doações desses bonequinhos aí

Aceito doações desses bonequinhos aí

assinatura pnmp


Em dia de Halloween, Konami divulga novo trailer de Castlevania: Lords of Shadow 2

LoS 2

Eu não preciso ressaltar o quanto sou fanboy da franquia desde o NES e o quanto tenho gostado dessa repaginação em 3D né? Pois é, então dá pra imaginar que eu tô ansioso pra baralho pra jogar  Lords of Shadow 2 e saber como conclui a jornada de Gabriel Belmont e sua prole.

A Konami divulgou mais um trailer hoje, e pelo andar da carruagem (os diálogos), o enredo se inclinará para uma possível busca de redenção por parte dos envolvidos na vida do auto intitulado Drácula.

Não imaginei que Maria fosse reaparecer na história, ao menos se for ela mesmo né, sabe-se lá o que o Zobek ou o Lulu podem aprontar… Mas a presença de Alucard deve influenciar na mudança de ideia de Gabriel e talvez decidir buscar a redenção.

Ainda sobre o game, há uma possível chance de a Konami Brasil trazer pra cá uma versão dublada do game. Eu adoraria, desde que a dublagem não seja fuleira como a de Assassin’s Creed 3.

O negócio é aguardar e ver no que vai dar, o game foi adiado de 31 de dezembro pra fevereiro do ano que vem.

assinatura pnmp


%d blogueiros gostam disto: