Arquivo da tag: 360

Bomba ou nostalgia? Novo trailer do jogo do Rambo

Rambo

Final dos anos 80 e início dos 90 a onda era os games do gênero beat ‘em ups (ou andar e bater, como eu chamo), depois veio a geração jogos de luta. O estilo dessas 2 últimas gerações de consoles tem sido os shooters. E temos visto shooters de todos os tipos, com todas as esquisitices, metidos a filmes de guerra como Call of Duty, ou ficção científica (ou space opera, não consigo me decidir) como Halo, e até ficção científica com toques de sarcasmo como Borderlands. Enfim, tivemos de tudo que é gênero explorado, de Wolfenstein, Doom, Quake ou Blood até Far Cry 3, passando pelo Blood Dragon. Aí no fim dessa geração aparece a Reef Entertainment com um “novo” jogo de tiro e a gente se pergunta o que será que ele tem a acrescentar. Não cara, eu não acho que todo jogo tem que ser único e super fodão como os citados acima, mas o propósito dele tem que ser cumprido, o de ser divertido.

Pra tentar isso, a Reef resolveu tentar a chance com uma franquia de filmes extremamente conhecida pela rapaziada de pelo menos uns 30 anos de idade e que, sinceramente, me pergunto porque ninguém tentou algo com ela antes. Rambo é uma série de filmes sem história muito elaborada, divertido pra quem foi criança nos 80 e início dos 90, violento até dizer chega, mas de uma época onde não tinha muita preocupação no grau de influência que isso teria nas crianças. Confesso que pela nostalgia do personagem, tenho curiosidade de jogar isso, mas o jogo tá feio, e o trailer não mostra muita coisa da jogabilidade, então as expectativas estão lá embaixo.

Foge Rambo que esse jogo tá com pinta de bomba!!

Foge Rambo que esse jogo tá com pinta de bomba!!

Jogos baseados em filme geralmente tem tudo pra dar errado porque precisam seguir enredo próximo ao do original, mas como o filme geralmente ainda está em produção, muitas vezes nem os caras do estúdio tem muitos detalhes de como será pra fazer algo amarrado, isso desconsiderando o prazo que quase sempre é apertado para os eles. Mas esse não é o caso de Rambo, o jogo é baseado na antiga trilogia, não tem PN a ver com um possível filme novo, nem conteúdo do mais recente Rambo IV tem, então era de se esperar um esmero de quem tá dedicado a fazer algo pelo prazer de explorar aquele universo, vide The Warriors, da Rockstar.

Aliás, The Warriors é o exemplo perfeito, o jogo não é bonitão, mas a jogabilidade é ótima e a proposta é total do universo de gangues nos quais os personagens estão. No filme você acompanha uma gangue de Coney Island, bairro da cidade de Nova York, que foi a uma grande reunião das maiores gangues da cidade. Por lá deu uma grande merda, foram culpados pelo assassinato do chefe da gangue mais forte e influente da cidade, e precisaram voltar pro bairro deles do outro lado da cidade, tendo que enfrentar tudo que é gangue que encontrassem pelo caminho. No game, isso tudo que acontece no filme representa cerca de 30 a 40% no máximo do jogo, pois ele expande o universo do filme apresentando todos os membros, como a gangue se formou, desenvolvendo a personalidade deles e tudo mais. Você aprofunda a experiência do filme.

Meu ponto é: Rambo tentará fazer algo do tipo expandindo a experiência e o universo do filme? Será feliz nesse caminho? Não sei, afinal só temos poucos trailers e não dá pra julgar sem ter jogado ainda, mas que esse trailer não me passou muita confiança, não passou.

Ah é, curte aí e tire suas conclusões:

O game sai ano que vem pra PS3, X360 e PC.

PS: O jogo talvez não preste, mas eu queria na minha mesa do trabalho uma dessas miniaturas da pré venda.

Aceito doações desses bonequinhos aí

Aceito doações desses bonequinhos aí

assinatura pnmp

Anúncios

The Simpsons Arcade: Relançamento na Live/PSN

Quem viveu a febre dos fliperamas e arcades das décadas de 80 e 90 muito provavelmente curtiu a era dos beat em ups (aqueles jogos de andar e bater). Tartarugas Ninja, Final Fight, X-Men (com direito a 6 pessoas em algumas máquinas), Cadillacs & Dinosaurs entre outros fizeram a alegria de muita gente. No meio desses games, um bem improvável conseguiu essa façanha também, The Simpsons: The Arcade Game.

Na minha época de moleque, Tartarugas Ninja era hegemônico nas casas de arcade (eita plataforma superior da antiga Divertilândia do Parkshopping…), mas Simpsons tinha quase tanta gente quanto. A Konami tinha a mão certa para fazer esse estilo de jogos. Tanto ele, quanto os 2 TMNT ou X-Men compartilhavam do mesmo ritmo frenético com movimentações suaves, multiplayer pra muita gente e hordas intermináveis de inimigos na tela.

Na história, Smithers, aquele paga pau apaixonado pelo Sr. Burns está roubando um diamante para ele. Na hora de sair da loja, eles trombam na Marge com a Maggie no colo, e acaba que o diamante cai na boca da bebê, que a usa como chupeta. Smithers então sequestra a Maggie e assim começa a porradaria da família amarela.

É uma história um tanto incomum e sem sentido, mas o jogo é divertido pacas, milhares de personagens secundários e terciários vão dando o ar da graça ao longo das fases, seja te atrapalhando, ajudando, ou só pra aparecer.

O game não está assim muito falado, mesmo entre o pessoal que viveu essa era dos arcades e tem essa sensação de nostalgia com o jogo, mas pra mim, não é nenhum investimento pesado pagar 800 MS points na Live Arcade, ou 10 dólares, na PSN. Vale a relembrança. De qualquer forma, não sei se na PSN teve demo desse jogo, mas na Live, todo jogo arcade tem versão demo, então você pode testar e ver se te agrada. Sei que  é compra certa pra mim, assim como foi X-Men, TMNT Arcade e TMNT Turtles in Time: Re-Shelled.


%d blogueiros gostam disto: