Arquivo da tag: dragon age

O que tem ainda de bom para ps3 e x360?

A nova geração chegou aí pra mostrar a que veio e apresentou um monte de novidades bacanas. Ao menos as do X1 você pode conferir a opinião de quem jogou em primeira mão com meu estimado amigo do controle que pluga na saída da direita, mas e pra galera (como eu) que não tem dinheiro ou coragem de investir nos altos valores de lançamentos de geração? Ainda tem coisa nova pra gente jogar? É claro que tem, serão um pouco mais escassos, mas não estamos ainda de fora da jogada, vamo nessa conferir algumas coisas que ainda estão por vir:

Dark Souls 2

As cria do tinhoso estarão de volta pra te infernizar a vida

As cria do tinhoso estarão de volta pra te infernizar a vida

Eu não podia deixar de começar com um dos games da velha geração que aguardo com maior ansiedade. Dark Souls 2 pretende trazer o sofrimento e a agonia de morrer pra baralho de novo na sua vida (isso foi paradoxal), então não pense que se livrou dos momentos de desligar o console de raiva depois de morrer pela décima oitava vez naquele desfiladeiro escuro onde você não vê nada mais do que 2 pequenos brilhos um pouco mais adiante, que de repente se apresentam como caveiras gigantes com armas do seu tamanho, você certamente ainda terá muitos momentos de trancar o boga de aflição com eles.

O game já tá em beta para donos do PS3 que pretendem levar na pré venda,  e até agora só ouvi elogios sobre o game. Pra quem tem uma verba e é um pouco mais fã do que o normal, a edição de colecionador do game é um tesouro a parte, contando com o game, disco de trilha sonora, livro de artwork, um mapa impresso em tecido e uma estatueta fodona. Um must have.

Essa estatueta fica bem na estante de qualquer um, até na da Dilma.

Essa estatueta fica bem na estante de qualquer um, até na da Dilma.

Dark Souls 2 tá previsto pra 14 de março e sai pra PC, Ps3 e X360.

Yaiba: Ninja Gaiden Z

Se fosse um filme, Yaiba acabaria com o estoque de ketchup e extrato de tomate do mundo pra jorrar tanto sangue.

Se fosse um filme, Yaiba acabaria com o estoque de ketchup e extrato de tomate do mundo pra jorrar tanto sangue

Esse pode até não ser dos títulos mais badalados, mas se você curte um bom hack and slash, e a série Ninja Gaiden, é bom dar uma conferida. Dirigido pelo mestre Inafune (Mega Man, Mighty No. 9), o game pretende ser um pouco mais colorido, com cara de hq animada e button masher do que os 3 antecessores em 3d. Você tá na pele do ciborgue Yaiba, que mata uma baralhada de zumbis alucinados em busca de sua vingança, e pelo que deu a entender até agora, o inimigo de Yaiba é o Ryu, protagonista da série tradicional.

Yaiba: Ninja Gaiden Z tem previsão de lançamento pra março de 2014 também e sairá pra Ps3, PC e X360.

TitanFall

Titanfall

Pipocos e mechs, esse mundo não fica melhor do que isso.

Não, você não leu errado, nem eu errei de geração. O game que eu mais aguardava jogar nessa nova geração, além da versão pra X1 e PC, também terá uma edição pro X360. Não se sabe que diferenças ela terá pras suas irmãs mais bombadas, mas imagino que uma engine com menos coisas se mexendo ao mesmo tempo, menos coisas se despedaçando, e nada de inteligência artificial na nuvem auxiliando nas coisas que acontecem no jogo. Ainda assim, pretendo jogar. Os vídeos de ação frenética que vi me deixaram bem empolgado pra deixar passar mesmo sendo uma versão inferior.

O game da antiga equipe do estúdio Infinity Ward, de CoD: Modern Warfare, tá previsto no x360 pra sair no dia 11 de março.

Dragon Age: Inquisition

Mais combates contra criaturas gigantescas

Mais combates contra criaturas gigantescas

Dragon Age é uma série que começou com um perfeito rpg aos moldes de Star Wars: Knights of The Old Republic e Baldur’s Gate, mas acabou sendo totalmente hostilizado em sua continuação quando resolveram simplificar tudo (inclusive o protagonista que não poderia mais ser escolhido raça ou origem para ele). Ainda assim, e mesmo vendo os primeiros vídeos de apresentação de Inquisition, a série merece atenção. Não imagino que a Bioware vai ser idiota o bastante pra cometer o mesmo erro 2 vezes e se apegar mais ao segundo do que o primeiro jogo.

A inquisição começa no final de setembro e sairá pra tudo que é plataforma.

Castlevania: Lords of Shadow 2

Foram necessárias 2 décadas e meia pra você poder jogar com o Drácula!

Foram necessárias 2 décadas e meia pra você poder jogar com o Drácula!

Muitos fãs torceram o nariz, outros adoraram, mas fato é que Lords of Shadow foi o jogo mais vendido da série. Não é um número gigante, mas conta muito né. Agora no papel de Drácula (porra, 20 e lá vai anos pra sair um Castlevania que te permitisse jogar com o fodão), você passará pelo seu castelo em 2 momentos, no presente e no passado. A trilha sonora revezando entre o orquestrado e o eletrônico pretende ajudar na diferenciação dos momentos. As câmeras foram ajustadas também, então você coloca ela onde quiser, e o jogo inteiro será um grande mapa, fãs de Symphony of The Night talvez gostem um pouco mais do game agora. Alucard, o filho de Drácula apresentado em Mirror of Fate tá de volta, e com ele um novo Belmont também.

Castlevania: Lords of Shadow 2 sai pra PC Ps3 e X360 em fevereiro.

Super T.I.M.E. Force

Quando Contra encontra Prince of Persia: The Sands of Time

Quando Contra encontra Prince of Persia: The Sands of Time

Talvez você não tenha ouvido falar da Capy, ou Capybara Games, como é o nome completo, mas entre a galera que curte jogos indies pergunte se já ouviram falar de Sword & Sworcery EP, para PC ou iOS. A Capy tem esse estilão pixelado em seus games e mesclar novas e velhas ideias em linguagens de games já conhecidas, e Super T.I.M.E. Force aparenta ser mais um deles. Pense em uma equipe militar com tecnologia de controle no tempo e você terá um Contra + PoP: Sands of Time. Se você morre com um personagem, o jogo volta até determinado ponto e você escolhe outro membro da equipe pra passar o ponto onde o anterior morreu, e consequentemente colocá-lo de volta na equipe.

O game é exclusivo do X360 e a Capy garante que ele sai ainda esse ano, eu duvido, mas não me oponho.

The Walking Dead: The Game – 2ª Temporada

twd6Não é bem um jogo novo, e ao mesmo tempo é, né? Agora sem o Lee pra proteger a pequena Clementine, ela tem que se virar pra sobreviver no meio da crackolândia. A segunda temporada parece ser mais tensa do que a primeira já foi e dispensa comentários se você deve ou não olhar pra ela.

A segunda temporada de Walking Dead sai no finalzinho do ano, aguardemos.

Gran Turismo 6

Não é do jogo essa foto, mas o Senna estará lá

Não é do jogo essa foto, mas o Senna estará lá

Me questionei muito se colocava esse game na lista, digo isso não por achar ruim ou preconceito com jogo de carro, mas é que ele já sai semana que vem, então não é bem um título futuro como os demais, mas tá aí.

Na sexta edição da série, além das pistas e carros novos, haverá um conteúdo extra do ex-piloto mais popular do Brasil e um dos mais do mundo, Ayrton Senna. A molecada talvez não dê a mínima ou nem saiba do que se trata direito, mas na infância e pré adolescência da minha geração e anteriores, as manhãs de domingo tinham um gostinho especial em ver a Fórmula 1. Pra se ter uma ideia do carisma da pessoa, o piloto era bem quisto até por quem não gostava de corrida.

Dia 6 do 12 e exclusivo para Ps3 (tem múltiplos de 3 demais nesses números, é algum sinal?) é o lançamento de GT6

Ace Combat Infinity

Hora de pilotar de novo

Hora de pilotar de novo

A Namco volta com mais um game da série de simulador de voo, a novidade agora é que o jogo é grátis. Sim, isso que você leu, ele é grátis. Só imagine que talvez ele seja como os joguinhos de celular e facebook, que são grátis, mas pra você liberar as coisas bacanas você tem que jogar milhões de horas ou gastar dinheiro. Sinceramente gosto da ideia de jogo grátis, mas não me agrada o caminho que esse tipo de coisa tá tomando, daqui a pouco todo jogo será assim e você vai gastar rios em armas, roupas, etc etc etc pra tudo que é jogo.

Ace Combat Infinity é exclusivo pra PS3 e sai agora no fim do ano também.

Lightning Returns: Final Fantasy XIII

Lightning Returns: Final Fantasy XIII

A Raio tá de volta

Não curti muito Final Fantasy XIII e sua continuação, então nem preciso dizer que minha expectativa por esse game é 0, mas ainda assim, Final Fantasy é Final Fantasy né, há de se esperar e testar antes de falar. Com a Lightning voltando como protagonista, e mais novos personagens e detalhes, Lightning Returns: Final Fantasy XIII é a conclusão da saga dos personagens desse linha de FF. Espero que seja melhor que os 2 anteriores.

A Volta de Ana Raio: Fantasia Final XIII chega em fevereiro e estará disponível pra PS3 e X360.

Bom, essa é uma pequena lista, ainda tem vários outros títulos a sair, inclusive alguns multiplataforma apresentados pra nova geração (Metal Gear Solid 5 e Watch Dogs eu tô olhando pra vocês), além dos já tradicionais jogos anuais ao estilo Fifa e Call of Duty, que devem demorar um pouquinho até desistirem da velha geração.

Curtiu a lista? Tem mais sugestões? Deixe sua opinião, crítica, trauma, felicidade, nos nossos comentários. Valeu!

assinatura pnmp

Anúncios

Quando a brincadeira toma grandes proporções: Jennifer Hepler, roteirista de Dragon Age 2, deixa a Bioware depois de ameaças de fãs

banner noticias

Bom, o P2 postou ainda essa semana 10 conselhos que deveriam ser seguidos por gamers e pessoas que convivem com estes. Tô achando que a parada já deve ganhar um apêndice viu. Sexta, dia 16 de agosto, foi noticiado que Jennifer Hepler, principal roteirista de Dragon Age 2 e trabalhando em Dragon Age: Inquisition, deixou a Bioware. O motivo? Ela diz que é pela busca de outros rumos na carreira, mas ocorre depois de um tempo em que fãs muito revoltados com os rumos tomados em DA2, terem resolvido que ela deveria pagar por isso com a vida dela, ou de seus filhos e familiares, e começarem ameaçar a eles de morte… Consegue pensar em quão pequeno e estúpido isso é? Porra (foi mal o  palavrão, eu geralmente uso onomatopeias, mas dessa vez vai sem mesmo), eu entendo  ficar puto com a porra do jogo. Entendo também que pra muitos ele é muito mais do que apenas um lazer bobo, visto o tanto que as vezes nos envolvemos demais com determinado jogo, mas cara, consegue entender ameaçar uma pessoa de morte por ter cagado um jogo que você esperava muito? Dizer que os filhos dela deveriam desejar ter sido abortados pela vergonha de ela ser mãe deles? Caralho vei, tudo tem limite, e esse foi ultrapassado de longe.

Como se não bastasse se sentir mal porque não gostaram do seu trabalho, tudo melhora quando se é ameaçado de morte por isso

Como se não bastasse se sentir mal porque não gostaram do seu trabalho, tudo melhora quando se é ameaçado de morte por isso

Sei que na maioria das vezes, isso não passa de ameaça vazia e trollagem no sentido de “peça demissão ou muda de área minha filha, pq tu tem as manha de cagar algo fantástico”, mas a gente tem ouvido tanta notícia de assassinatos pelos motivos mais banais, que basta apenas um desses trolladores de zoeira resolver levar a sério a ameaça. E você estando na posição dela ou dos colegas de trabalho na Bioware, poderia afirmar quem tá falando só por crítica ao que você fez e quem tá fazendo uma ameaça real? Eu sei que eu não, mortes por rivalidades de torcida estão aí pra me fazer pensar assim.

É claro que ela se prontificou em dizer à imprensa que esse não foi o motivo, mas é mais provável dizer que esse não foi TAMBÉM o motivo. Quem se sente animado pra ir trabalhar com todo mundo te descendo o malho e ameaçando você  o tempo todo? A Bioware deve saber melhor do que ninguém o quanto esses caras odiaram o jogo, as vendas e a reação de público e crítica falam por si só. É certo que Dragon Age Inquisition pode até não ser o épico que DA: Origins foi, mas tenho certeza que eles aprenderam a lição o suficiente pra decidirem voltar ao caminho que DA:O trilhou.

Precisamos sempre relembrar que: por mais que o universo dos games seja fantástico, uma ótima forma de entreter e contar uma história épica, ainda são menores que as vidas de outras pessoas. A internet tem um poder agregador fantástico, mas também tem essa capacidade de potencializar esse tipo de trolladas em níveis absurdos.

Enfim, ela agora decidiu ser escritora freelancer e espero que ela não “erre” mais pra não “merecer” a morte dela ou de seus filhos futuramente.

E você o que acha? Deixa sua opinião, crítica, elogio, sugestão

Fonte: Metro UK

assinatura pnmp


Os Reinos de Amalur

Sou um cara que posso dizer que não vi, nem procurei saber sobre NADA do que viria a ser esse Kingdoms of Amalur: Reckoning. Pra ter uma ideia, em um site eu devo ter visto comentado sobre outro jogo, mas como  o título que estava no topo dele era sobre esse jogo, eu achava que ele seria um MMO (burro pra car@&%$, pode dizer).

Esses dias vi que saiu a demo na Live/PSN, e até estranhei. MMO nos consoles não é muito comum, mas visto que existe Final Fantasy XI,XIV, DC Universe Online, Phantasy Star Universe e o futuro The Secret World, que está em fase beta, não foi lá tão estranho ver mais um.

Enfim, liguei a demo, começa explicando das terras de Faeland, onde o povo de Winter Fae, os imortais e agressivos Thuatas resolveram acabar com o povo de Summer Fae, mortais e sociaveis. A guerra está pendendo para o lado dos Thuatas, já que quando morrem, eles renascem em suas próprias terras, mas um fator pode alterar esse destino.  Em meio a terras pacíficas, longe dos frontes de guerra em Summer Fae, gnomos fazem experiências com o poço das almas (well of souls), afim de tentar trazer mortais de volta a vida. Seu personagem foi uma dessas experiências falhas, ou pelo menos é o que acharam, você “acorda” no meio de uma pilha de corpos de outras experiências que falharam, sem se lembrar de nada, enquanto o poço está sendo atacado. Você precisa fugir, sem muitas explicações de quem era, ou para que faziam essas experiências.

O seu personagem é completamente customizável, você escolhe rosto, raça, gênero, tipo de cabelo e todo essas  coisas que muitos rpg’s te dão opção hoje em dia. A jogabilidade de KoA é bem simples, com um botão você usa arma primária, com outro a secundária, segure RT (ou R2) e aperte um dos outros botões e use magias, etc. Equipamentos como armaduras e armas também não faltam. Me senti jogando um misto de Fable com Dragon Age e um leve toque de Tenchu também, e isso foi bem do car@$%&. A parte do Tenchu, é porque você apertando RB (R1), entra em modo stealth, andando devagar, podendo se aproximar de inimigos desatentos e matá-los com estilo.

O jogo utiliza um esquema de cartas de destino para você seguir especializações. Aliás, essa parte do destino parece fazer mais sentido ao longo do jogo, vi muito pouco sobre isso na demo, mas há leitores de cartas que conseguem ver o destino das pessoas, e curiosamente, o do seu personagem eles não conseguem ver.

O jogo possui um sistema de níveis de experiência e também quests que você vai pegando ao longo das cidades que visita. Pelo que pesquisei um pouco depois de jogar a demo, existem ainda facções dentro do game, e cada uma com quests específicas, sendo essas facções responsáveis pelo destino que seu personagem ou o ritmo que o jogo levará. Uma premissa bem bacana, e pelo que vi, até agora o jogo tem sido bem recebido por críticos e público.

Sendo um game distribuído pela EA, eu teria um certo pé atrás, eles acertam bastante, mas de vez em quando soltam umas bombas com cara de jogão que vou te contar viu. Mas a demo me pegou, tendo grana e tempo, por enquanto, os Reinos da Amarula eu compraria.


%d blogueiros gostam disto: