Arquivo da tag: mmo

MMO da Marvel volta a ser notícia

Mermão o dia parece estar bom pra novidades mesmo, o estúdio gazillion revelou finalmente alguns dos detalhes que envolvem a produção do MMO RPG da Marvel, e ao contrário do que todo mundo imaginava, ele não será um híbrido de WoW, DC Universe ou Everquest, mas sim um híbrido de Diablo.

Ok ok, temos falad muito de Diablo nos últimos dias, mas dessa vez o assunto não necessariamente é ele, e acredito até que o pessoal da Gazillion tenha esperado esse momento pra aproveitar certo burburinho a respeito do jogo do momento. Marvel Heroes será um game gratuito, e até o momento, não foram apresentados detalhes de como serão as microtransações no jogo ou o que mais eles forem usar pra se sustentar.

Sendo um MMO, o jogo te permitirá não só sair em missões solo, mas também poderá (deverá né, senão não tem porque ser um MMO) utilizar de grupos para jogar em coop e terá locais de socialização como pontos estratégicos de vendas e de coletas de missões, além do hub do jogo.

Parece promissor isso, particularmente estou mais empolgado de poder jogar com Ciclope, Hulk, Demolidor e companhia do que criar meu próprio herói e apenas interagir com esses personagens como NPC’s, como acontece em DC Universe Online.

Segue o primeiro trailer de divulgação do game

Fonte: IGN


Tirinha: Queimando a língua SWTOR

Fiz com muito amor e carinho procêis, seus corno!


Minha Sith Marauder

Minha personagem do meu vício recente


Afasta de mim esse The Old Republic que isso é magia negra!

Depois de finalmente pegar um mmo que eu fique realmente empolgado, agora entendo o vício que os amigos que curtem ficam ao jogar. Meu Deus, você passa 5, 6 horas seguidas jogando isso fácil. E o pior? você acha que não fez PN no jogo, e ainda fica com peso na consciência de não ter feito PN na sua vida também. Tô com medo dessa porr@, sério!

Sobre o jogo

Agora que consegui me dedicar “um pouco” mais, posso dar uma opinião melhor. Como postei antes, estou jogando com uma sith warrior, com especialização em Marauder, isso me permite ser mais ágil e usar 2 sabres, mas não usa poderes da força a distância, como choques ou estrangulamentos. O gameplay é bem bacana, podendo ser comparado a qualquer outro rpg de ponta (sim, eu to falando de wow). Se ele não se destaca como melhor, ao menos não fica pra trás. Mas o que mais me agradou nisso foi o fator single player. Com os esquemas de opção de resposta que alteram sua afetividade com seu companheiro (NPC que te acompanha), e/ou sua afinidade com o lado da luz ou sombrio da força, o feeling de estar jogando uma continuação de KOTOR single player, mas com outros jogadores participando é grande. E isso é muito bacana, dedique-se a se socializar se quiser, mas você não tá afim de papo e quer só avaçar na história do jogo? De buenas também porque isso você pode.

Existem missões que só podem ser cumpridas em grupo, óbvio, mas elas nunca são centrais à história do jogo, e geralmente os níveis de dificuldade delas vem com os títulos [Heroic 2], [Heroic 2+] ou [Heroic 4], onde o número é a indicação de jogadores adequados pra avançar na missão. Pode ter certeza, a menos que você esteja uns 8, 10 níveis acima da faixa da missão, cê não passa sozinho nem fud$&%§.

A respeito das habilidades, conforme eu disse das classes e especializações, você começando como um sith warrior, ou qualquer outra classe do jogo, terá habilidades primárias que vai ganhando ou evoluindo conforme passa de nível. Depois do nível 10 você escolhe uma das especializações da sua classe, e aí ganha outras habilidades específicas, mas também continua evoluindo as primárias.  Mas não é só você que tem especialidades, lembra daquelas habilidades específicas de KOTOR de hackear computadores, criar equipamentos ou garimpar por artefatos raros? Pois é, essas habilidades no jogo são dedicadas aos seus companheiros, e é com elas que você vai poder garimpar por cristais brutos, e usá-los pra lapidar em cristais utilizáveis para o seu sabre, produzir itens para curar ou turbinar seu personagem, criar armaduras e outros equipamentos e outras coisas mais. É uma boa forma de dividir a dedicação do seu personagem, já que você não perde pontos de skill do seu sith com isso.

Mas e aí, o jogo tem ligação com os Kotor’s originais? Eu te respondo, sim, ele se passa 300 anos depois, e a referência não é apenas essa. Desde o primeiro jogo, a Bioware sempre se preocupou em encaixar a história deles no meio do enredo já produzido do universo expandido de Star Wars. Personagens das hq’s e livros do universo como Naga Sadow, Freedon Nadd, Exar Kun ou Ulic Quel-Droma são citados e permanecem como referência para o universo do jogo estar da forma como está. Sendo assim, eles não fariam diferente com o próprio título deles. (Spoiler pra quem não terminou KOTOR aqui) Há um culto dentro dos sith chamados de Revanitas, que cultuam a Darth Revan, protagonista do primeiro KOTOR. No jogo eles dizem que Revan iniciou jedi, se tornou sith, e depois se elevou acima das duas classes, sumindo no universo afim de se preparar para um inimigo maior do que esperavam. Isso todo mundo que terminou KOTOR já sabia, mas o jogo diz que Revan voltou de sua missão, embora não revelem o que foi que ele enfrentou, e decidiu treinar iniciados da força no planeta Dromund Kaas, capital do império, e lá morreu fazendo isso. Eu estranhei o fato desse culto ser do lado dos sith, e não conheço o lado dos jedi, mas imagino que eles devam ter uma facção de culto a Revan também, e to esperando também que mais desse passado desconhecido de Revan se desenvolva no jogo. (acaba aqui o Spoiler)

O jogo possui também os tradicionais modos de guildas e coisas do tipo, embora eu ainda não tenha testado essa parte, mas fiquei de cara com a quantidade de brasileiros jogando, volta e meia vejo alguem comentando algo em português. É uma boa pra quem não consegue conversar em inglês, e pra quem pretende procurar guildas BR.

Esse jogo tá tão bizarro de consumindo meu tempo que até pra postar o que tenho achado dele até agora foi um post grande, que medo, mas joguem!


Jedis e Siths em Nova York

Uma ação promocional de Star Wars The Old Republic tomou cena em Times Square para divulgar o lançamento do jogo. Eu queria estar lá.

Fala se eu não ia tirar foto abraçado com uns siths.


Star Wars The Old Republic, me coçando

As pessoas que me conhecem sabem que não sou um adepto a MMO’s. Em todas as minhas investidas no estilo, nenhuma me prendeu demais. Adoro jogos multiplayer, mas MMO é meu fraco. De uns tempos pra cá, com máquina nova, cheguei a testar Dungeons & Dragons Online, Age of Conan, Champions Online e DC Universe Online, sendo que destes, curti mesmo DCU e Age of Conan. Mas um jogo que está me deixando tentado a investir mais uma vez no gênero, primeiro porque é Star Wars e segundo porque é Bioware, é o The Old Republic.

Uma coisa que me deixa ausente dos MMO’s é a falta de sensação que tenho de estar desenvolvendo um roteiro, mesmo com esses jogos todos que eu citei tendo um. Mas pelas coisas que li de SWTOR, boa parte do foco deles é pra esse lado, tentando te proporcionar as duas sensações ao mesmo tempo, tanto é que, assim como nos 2 KoTOR, você tem opções de falas ao conversar com NPC’s e coisas do tipo, suas decisões acarretam em caminhos diferentes.

O que li até agora de alguns poucos comentários tem variado muito de excelente, a uma grande bosta, mas como são poucos, prefiro esperar mais até aparecer uma certa coerência entre muitas opiniões. Pessoas que reclamam falam que o jogo ficou uma cópia espacial de WOW, enquanto pessoas que defendem dizem que o jogo teve o esmero já conhecido da Bioware, e que realmente é divertido o avanço do seu personagem através do enredo do jogo.

Como sou fã de Guerra nas Estrelas, certamente pegarei o jogo em um determinado momento da minha vida, mas por enquanto não dá, até porque tenho outros gastos de jogos a fazer, ao invés de pagar mensalidades. Mas essa edição de colecionador tá um piteuzinho viu, pena ser tão cara, olha os itens inclusos:

  • Estátua exclusiva de Darth Malgus
  • Caixa de metal para guardar os jogos
  • O diário do Mestre Gnost-Dural, por Satele Shan
  • Mapa galático da velha república
  • Aparelho autenticador de chave customizado
  • CD de trilha sonora
  • Caixa de colecionador de alta qualidade

Fora isso, a edição de colecionador tem ainda mais 7 itens digitais:

  • Flare Gun
  • Training Droid
  • HoloDancer: para projetar sua(seu) própria(o) dançarina(o)
  • HoloCam: pra guardar videos de suas missões no jogo
  • STAP: um veículo único pro seu personagem no jogo
  • Mouse Droid Exclusivo: droid Spun-ky pra ir com você nas aventuras
  • Loja exclusiva de edição de colecionador: Vendedor único no jogo com uma lista variada de itens


Liberaram os heróis

Ontem parece ter sido o dia de testar jogos gratuitos. Depois de jogar Stealth Bastard, fui dedicar um pouco de tempo a testar o MMO DC Universe Online, o título com os famosos heróis da DC. Desde o início do mês liberaram geral o jogo. Na temática de heróis, antes dele, eu já tinha jogado Champions Online, que já estava me divertindo, mas nada perto do que curti ontem com DCU. Um tempo atrás eu disse que o único MMO que conseguiu me prender por sentir evolução na história conforme ia jogando foi Age of Conan. DC Universe tem grandes chances de fazer melhor que AoC pra mim, porque a temática de super heróis me agrada mais.

Eu não havia parado muito pra ler mais do que “DC Universe foi lançado” ou “o jogo é isso, isso e aquilo” nas notícias sobre o título, até porque MMO não são o meu forte. Mas uma coisa que sempre me perguntei é: como eles vão conseguir colocar a gente pra jogar com Batman, Super Homem ou Mulher Maravilha? A resposta é simples, e uma ótima solução, você não joga com esse tipo de heróis. Você cria um herói novo com origens baseadas nos heróis, e principalmente, escolhe um deles como seu “tutor”. Achei uma ideia bacana.

E isso leva a segunda pergunta: Por quê diabos surgiu de repente esse montão de heróis além dos já conhecidos no universo DC? A resposta está no enredo do jogo. Em um futuro alternativo, os vilões conseguiram derrotar a Liga da Justiça (diga-se de passagem, ficou um cinematic fodástico de abertura com esse combate), e logo após o combate, surge o Brainiac e domina tudo na Terra. Lex Luthor volta então ao passado pra avisar os heróis, e com uma tecnologia roubada de Brainiac, lança ela sobre a Terra, no qual a população começa a manifestar poderes. Isso gera novos heróis, mas tambem novos vilões, e a partir daí, Lex diz que cabe aos heróis da Liga da Justiça treinarem esses novos superseres para se defender contra Brainiac e proteger o futuro. Achei um ótimo enredo, e fiquei imaginando como seria se fosse com os personagens Marvel. Questão de gosto pessoal, eu prefiro os personagens do titio Stan Lee.

Instalei ele em um laptop Positivo Sim+6240 já imaginando que fosse talvez rodar muito ruim e feio, mas pelo contrário, o jogo estava configurado de médio pra bom nas qualidades gráficas. De fato, só ficou travando um pouco nas cenas com muitas pessoas na tela. O jogo tem suporte a joystick, melhor coisa do mundo, porque pude jogar com controle com fio de X360. E o melhor é que ele já vem todo configurado certinho pro controle, todos os atalhos básicos e tudo mais, não precisei fazer nada, a não ser digitar pra mandar mensagem, pelo teclado.

Na versão di grátis o jogo não te permite tantas regalias como na versão paga, mas entre receber um bolagato (ou se for mulher, uma lambidinha) grátis, uma trepada paga completa, e ficar na mão só imaginando como deve ser, o ballcat certamente é mais agradável. Dentro das características da versão free você pode: Criar até 2 personagens, comprar DLC’s, tem 28 espaços no inventário podendo comprar mais, pode comprar espaços para leilão, tem 12 espaços no banco do jogo para guardar itens, podendo comprar mais. Também não tem troca de equipamentos com outros players e pode ter no máximo 1500 de grana além de outras coisinhas mais. Na versão trepada completa existem ainda 2  pacotes diferentes que vão aumentando as regalias permitidas.

Se você curte um bom MMO, e está querendo sair um pouco da linha guerreiro medieval fantasioso, DC Universe é legal pacarai!


%d blogueiros gostam disto: