Arquivo da tag: piores

Notas sobre Tartarugas Ninja: Out of The Shadows Pt.1 – Pequeno review

oots marca

Semana passada finalmente chegou um dos games que eu aguardava há um tempo com certa ansiedade. Fanboy que sou dos Tartarugas Ninja, daqueles que leu todas as hq’s originais deles, sempre que anunciam algo novo dos personagens eu já fico curioso. Confesso que depois de anunciado que seria a Activision a detentora dos direitos, e ao ver os primeiríssimos vídeos que não mostravam PN do jogo, exceto golpes em zoom e cortes rápidos, e um dubstep chato que só uma p*%%@, eu esperava um jogo muito fraco, e provavelmente em esquema de arena, ou single player como o TMNT de 2007 da Ubisoft. Depois de alguns vídeos na E3, descobri que a coisa não era bem assim, o jogo reservava além de um modo história com fases exploráveis, para 2 pessoas local e 4 pessoas online, um modo arcade com visão lateral e tudo mais. Esse detalhe me fez começar a arrepiar os cabelin do fiofó de alegria.

Não é um jogo de arena, ufa

Não é um jogo de arena, ufa

Quando peguei o jogo semana passada, tudo o que eu pensava era “Deus permita que não tenham cagado com alguns de meus personagens favoritos da infância, porque se a coisa ferrar, dificilmente a Activision produzirá outro jogo deles”. De certa forma minhas esperanças não foram em vão, ou pelo menos não pra mim.

O game me apresentou um brawler com ótimas referências de Batman: Arkham City em um sistema  de passar de nível que libera mais ataques ou melhora o status dos tartarugas. Você sente a diferença ao jogar com cada um. Raphael usa golpes baseados no Muay Thai, Leonardo tem influência do Karatê, Donatello dá uma de Bruce Lee,com o Kung Fu e Michelangelo manja dos paranauê… literalmente, já que a base do personagem foi a capoeira. Além das diferenças entre os tartarugas, o sistema de combate com interação entre eles ficou bem legal também. Mas para você habilitar golpes novos que melhoram essa interação, é preciso passar níveis e ir escolhendo ode gastar os pontos de experiência.

Várias opções para gastar seus pontos de experiência

Várias opções para gastar seus pontos de experiência

Os cenários no jogo também são interativos em muitos pontos, você vai se dependurar em canos, girar em postes, andar pelas paredes pra chutar a cabeça dos féla que vierem tentar zuar contigo, deslizar por corrimão, escalar grades e muros e o baralho a 4.

Como comentei no início, o game tem o modo história, onde você desenvolve o enredo por trás da coisa toda. São 4 capítulos o modo história, mas se engana quem achar pouco, o game vai te levar pelo menos de 3 a 7 horas pra terminar, dependendo de quão bem você pega a jogabilidade ou demora a matar, e também dependendo se tá jogando sozinho ou em equipe. O cpu até comanda os outros 3 tartarugas pra você, mas além de ele ser fraco, nenhum cpu comanda outros personagens como outros jogadores, né. Terminando os capítulos do jogo, você vai liberando fases para o modo arcade, são 7 no total e não são necessariamente pequenas. O modo arcade é praticamente o mesmo do jogo, só que com câmera lateral, como os jogos clássicos. O ponto negativo aí é que o modo arcade só aceita multiplayer local, espero que corrijam isso com um patch de atualização. Ao concluir o jogo, você libera também o modo challenge e o Survival, que são a cereja do bolo se você quer desafio enfrentando hordas e mais hordas de maloqueiros, ninjas e robôs.

Uma das pérolas do jogo é o modo arcade, são 7 fases no total sendo liberadas a cada capítulo concluido

Uma das pérolas do jogo é o modo arcade, são 7 fases no total sendo liberadas a cada capítulo concluido

Infelizmente, ao menos pra mim, o maior problema do jogo são os bugs e glitches. Muitos e alguns em nível básico em que você simplesmente tem que voltar ao último checkpoint. Em uma partida comigo nem isso salvou, pois eu estava na quinta fase do modo arcade e o meu personagem simplesmente sumiu debaixo do teto de um prédio, o modo arcade não tem checkpoint, se você travou, vai ter que ir do início de novo. Isso foi extremamente irritante, mas a única vez que fiquei realmente puto com o jogo. Esse excesso de falhas deu uma sensação de um jogo que passou pouco tempo na mão dos testers. Se por falta de tempo, ou de equipe, ou de orçamento, ou até mesmo de qualidade dos profissionais do estúdio Red Fly, eu não sei, mas a impressão que eu tive é que a equipe pegou as referências certas, montou um esquema certo, tentou atingir o público certo, mas pecou em lançar um jogo em que faltou aparar muitas arestas. Pense em como seria Batman: Arkham City lançado meio ou 1 ano antes da data e você terá o que eu achei do TMNT: out of The Shadows.

A câmera também consegue ser bem irritante para alguns jogadores, se você jogou a nova série do Ninja Gaiden, sabe bem como é chegar as vezes próximo demais da parede e não conseguir enxergar nada além do seu personagem na tela. Se ficasse um pouco mais distante também ajudaria bastante. E ao jogar o modo história com cooperativo local aí que a coisa fede mesmo. Não sei por que p*%%@s os caras fizeram isso, mas o a divisão de tela jogando o modo história de 2 divide a tela verticalmente, como se não bastasse, ele ainda corta partes da tela, parecendo que você tá jogando com duas tv’s letterbox pequenas. Não sei qual a dificuldade em colocar opção de câmera mais distante, e escolher se quer divisão horizontal ou vertical, além de te deixar ver a p*##@ da tela toda.

Ninguém merece esse tanto de tela sobrando pra cima e pra baixo, além desse corte na vertical

Quem inventou esse negócio de cortar a tela na vertical merecia dormir com 4 salames socados no rêgo. E esse tanto de tela faltando pra cima e pra baixo também só termina de f%$&# com tudo.

De qualquer forma, um jogo mal aparado não é um jogo totalmente ruim, tem uma diferença entre pegar um jogo em que vocêidentifica as qualidades que faltaram terminar de lapidar (TMNT OoTS) e um jogo que é malfeito desde o princípio (Double Dragon 2: Wander of The Dragon). Então pra mim, mesmo com as falhas, tartarugas ninja ainda atinge um 7 sendo fanboy, e 6 deixando a fanboyce de lado.

Activision, lance logo o patch de atualização corrigindo algumas dessas falhas mais toscas e por favor, não vete uma continuação do pessoal da Red Fly, esse estilo de jogo se produzido com mais esmero fica ótimo para os personagens.

assinatura pnmp

Anúncios

O jogo mais esc$%&* do SNES que já vi

Gente, vi a foto desse jogo em um fórum e não pude me conter pra pesquisar WTF de jogo é esse.

Trata-se de Hong Kong 1997, um jogo feito para SNES pela Happy Soft, uma empresa chinesa de bebidas. Por que diabos inventaram de lançar um jogo, e tão tosco assim, eu juro que não sei, de repente tempo livre demais.

O jogo é esc$%&* do início ao fim. Logo na tela inicial você escolhe o idioma, e na tela seguinte começa uma musiquinha absurdamente bizarra com essa mensagem:

“Procura-se jogos. Nós venderemos seus jogos originais de SNES. (1/3 dos lucros é seu). Nós recebemos jogos de todos os tipos, então por favor nos envie-nos o seu disquete. Entraremos em contato depois das devidas considerações.”

Alguem me diz que porr@ é essa? Os caras queriam fazer um mercado de games vendendo os seus jogos e te dando um terço do valor deles? Ok, vamos em frente, logo em seguida vem as telas de história:

Basicamente, um bando de “vermelhos” surgiu na China acabando com tudo, matando e roubando as pessoas, e o governo convoca Chin, um parente de Bruce Lee (que na foto tá o Jack Chan) para dar cabo dessa bagaça. Mas pouco sabe o governo Chinês que os vermelhos tem um projeto de transformar o falecido ditador Tong Shau Ping em uma arma mortífera, então começa a put@#$@.

O jogo tem visão por cima ao estilo Space Invaders onde você atira em tudo que se mexer  caindo na tela. Morreu? Então toma seu Game Over:

Velho, é um cadáver mesmo a porr@ da cena, não podia ser pior! Oh Wait, podia sim! Se você chegar ao “final” você vai encarar esse chefe aqui:

É uma foto do maluco com sangue embaixo! Olha a cara do figura que tu tem que enfrentar, não tem como ser mais tosco! De tão tosco acaba sendo bom! Mas nem se anima, se você matar ele, o máximo que acontece é voltar a horda de inimigos novamente, em um loop infinito.

Animou? Dá uma olhada nesse video de gameplay pra ver se continua no mesmo pique.

Fonte: DW. Space


Toda vez que eu chego em casa e outras bobeiras

Vi essa porr@ hoje e não pude parar de rir.

Toda vez que eu chego em casa…

Postado pelo Gamesfoda

Outras Bobeiras

Bobeira 1 Crimson Alliance é um jogo que se tivesse saído uns 3 anos atrás, talvez teria feito mais sucesso, mas enfim, é um exclusivo da Microsoft para o X360 que sai de graça.

Aí você para e diz: “Pô, de graça até injeção na testa! Mesmo sendo jogo com impacto de antigamente, vale!!”

Então eu te explico, o jogo mesmo não custa nada, ele é um game de rpg nos moldes de Diablo, Torchlight ou Baldur’s Gate: Dark Alliance. Você cria seu personagem entre 3 categorias, rogue, warrior ou mage, e aí vem a brincadeira de féla duma égua da Microsoft. Cada classe custa 800 MS Points, sim é isso mesmo que você leu, o jogo é grátis, mas a classe custa pilas.

O jogo já saiu tem um tempo e por que eu estou falando sobre ele só agora como se fosse lançamento? Simples, é porque essa semana, as classes do jogo estão em promoção no Deal of The Week, o pack que viria com as 3 classes está de 1200, por 800 MS Points. Ainda é meio carinho pra um jogo que DEVERIA ser grátis, mas pra quem quer se aventurar no título, essa é a chance de pegar um pouco mais barato. Detalhe, ele tem multiplayer viu, queria ao menos jogar um pouco dessa parte multi com os amigos.

Bobeira 2 10 minutos, foi o tempo que consegui durar jogando a demo de The First Templar, um jogo de cavaleiro em um esquema hack and slash muito fraquinho, com golpes lentos. Desanimador isso, pelas fotos que vi, tinha esperança de uma daquelas pérolas desconhecidas que acabam fazendo um bom serviço.

Bobeira 3 Saiu hoje na PSN (ou SEN), Live e Steam o game Gotham City Impostors, é um jogo ao melhor estilo Team Fortress 2 tematizado de loucos fantasiados toscamente de Batman e Coringa, tenho encontrado bons comentários sobre o jogo, e acho que ele vale os 15 dólares se você curte umas pelejas versus (são 6 contra 6) pela internet.

Bobeira 4 Saiu ontem Kingdoms of Amalur né? Pois é, a Steam e a Bethesda só pra implicar com ele, resolveram fazer uma promoção de Loucura de Meio de Semana com Skyrim saindo por 40 dólares, sao 20 dólares de desconto no valor original. Se você tava pensando em pegar para o seu computador, agora é a hora.


%d blogueiros gostam disto: