Arquivo da tag: portátil

Gamescom: Mais algumas histórias

gamescon

Mais notícias vão aparecendo, e por aqui vamos comentando:

1. Trailers, trailers e mais trailers

A Blizzard enfim apresentou novidades para Diablo 3,  e não estou falando da versão dos consoles, mas da primeira expansão da versão de PC. Intitulada Reaper of Souls,  a expansão vai ter foco em Malthael, o Arcanjo da Sabedoria, desaparecido desde a expansão de Diablo 2 e recém surgido como anjo da morte em D3. Além do enredo, RoS trará também como novidade a classe de personagem do cruzador, que tem o foco em equipamentos pesados e magias de suporte. Nos dados técnicos, você poderá elevar seu char até o nível 70, além de acrescentar mais skills e magias para as classes já existentes do jogo, fora outras alterações nos mapas, missões e modos de jogo.

Muita gente reclamou de D3, particularmente eu me diverti muito e joguei feliz até terminar a história. Não sou o tipo de player que fica rejogando por mais milhares de vezes subindo mais o nível e zerando 3, 4 vezes, etc etc etc, pra poder opinar do pós jogo da primeira rodada, mas a mim o jogo diverte como o primeiro e o segundo divertiram.

Um novo (ou não) trailer de Lords of Shadow 2 foi apresentado pela Konami, o vídeo inteiro é praticamente o que já foi visto na E3, com a diferença de um pequeno detalhe: Ao final do trailer tem uma cena extra na qual apresenta um novo Belmont, Victor. Pra quem não conhece, Victor Belmont seria um dos protagonistas de Castlevania Resurrection, jogo que estava sendo produzido pela Konami americana e foi cancelado para Dreamcast por chilique ordem do Iga, que foi  escolhido o responsável oficial pela série no meio da produção na época. O enredo envolvia viagens no tempo, ou ao menos 2 linhas do tempo diferente, e teria além de Victor, Sonia Belmont, a protagonista de Castlevania Legends para Gameboy Color, e “ex-mãe” de Trevor Belmont, de Castlevania 3. Castlevania Legends foi limado da timeline oficial também por chilique ordem do Iga.

Sonia e Victor Belmont, no cancelado Castlevania Resurrection, para Dreamcast

Sonia e Victor Belmont, no cancelado Castlevania Resurrection, para Dreamcast

O que esperar disso? Não sei. No original, a história de Victor se passava em 1666, pelo pouco que mostrou, eu não ousaria dizer se o enredo dele se passa no presente ou no passado. O pior da história é que a Konami adiou Lords of Shadow 2 de 1 de dezembro agora para 27 de fevereiro de 2014. E tome ansiedade para o fanboy de Castlevania aqui…

Eu cheguei a postar a foto e citar ele entre os futuros títulos do Ps4 ontem. Não houveram muitos comentários a respeito do jogo, mas a ambientação me lembrou muito Ico e Shadow of The Colossus, se seguir por essa linha, seria um dos meus must have imediatos no lançamento sem exagero algum. A Tequila Works, produtora do game, é responsável pelo injustiçado Deadlight, um game muito bom que não caiu nas graças de crítica ou público.

A série Arkham foi uma das melhores coisas que joguei nessa geração disparado. Não espero menos de Arkham Origins, muito embora esteja receoso de não ter mais o dedo da Rocksteady Studios na brincadeira. Provavelmente o enredo deve ter uma boa dose de Batman: Ano um como referência, e é uma excelente influência.

Pelo visto a Ubisoft quer entrar na onda dos jogos de peleja, só que o game será para Kinect, ou pelo menos aparenta ser por esse teaser. Fighters Within, apresentado para o XOne promete muito sangue virtual. Para os extremistas do naipe “a culpa é dos jogos violentos” repare na pequena caixa laranja escrito “check the classification”, traduzido para o bom português como CHEQUE A CLASSIFICAÇÃO, antes de vir falar qualquer merda quando aparecer o próximo escândalo de violência no qual o suspeito tenha também o hábito de jogar. Mas antes disso, cheque primeiro a criação e o convívio com família e amigos dessa pessoa. Pronto, acabou o momento sapo, só achei apropriado pela quantidade de sangue no vídeo e por ser da Ubisoft, detentora de Assassin’s Creed.

2. Mais um pouquinho sobre a nova fase do Vita

Só pra mostrar que a Sony não estava só dando uma leve maqueada quando aparentava estar largando o Vita de mão mas dizia que não, esses são os futuros jogos de estúdios independentes que sairão para ele

  • Age of Zombies (BlitWorks/Halfbrick)
  • A-Men 2 (Bloober Team)
  • Assault Android Cactus (Witch Beam)
  • Avoid Droid (Infinite State Games)
  • Broken Sword: the Serpent’s Curse (Revolution Software)
  • Eufloria HD (Omni Systems)
  • Fez (Polytron Corporation)
  • Final Horizon (Eiconic Games)
  • Flame Over (Laughing Jackal)
  • Gravity Crash Ultra (Just Add Water)
  • Gunslugs (Abstraction Games)
  • Hotline Miami 2: Wrong Number (Dennaton Games & Devolver Digital)
  • Joe Danger 1 (Hello Games)
  • Joe Danger 2 (Hello Games)
  • Kick & Fennick (Green Hill Studios)
  • Rogue Legacy (Cellar Door Games)
  • Samurai Gunn (Teknopants)
  • Supermagical (Tama Games)
  • Switch Galaxy Ultra (Atomicom)
  • Table Top Racing (Ripstone)
  • The Binding of Isaac: Rebirth (Nicalis)
  • Volume (Mike Bithell)
  • Wasteland Kings (Vlambeer)

Alguns deles já são conhecidos pela Steam (Rogue Legacy) ou pela Live (FEZ), mas uma boa parte aí será novidade, e no portátil eu espero que dê muito certo, o Vita é uma ótima plataforma pra isso se o público aderir.

Espero ter mais alguns resumos a fazer amanhã, mas se não tiver, ainda tô devendo um pequeno review de Dragon’s Crown, que estou jogando dedicado desde o lançamento 2 semanas atrás, e outros comentários mais do mercado.

Inté!

 

EDIT: Hoje a Konami divulgou algumas imagens mais de Victor Belmont, e juntando isso, mais uma análise com um pouco mais de calma das poucas cenas que ele aparece no trailer, pelas roupas, parece que Victor será um Belmont contemporâneo. Tudo bem que tem uns pedaços de armadura e tal, mas ele tá usando um colete que e camiseta que parecem roupas da era atual. Vejam por vocês mesmos.

Victor Belmont é primo do Desmond, de Assassin's Creed?

Victor Belmont é primo do Desmond, de Assassin’s Creed?

As botas de metal podem até ser clássicas, mas esse colete com a camiseta me parecem bem modernos

As botas de metal podem até ser clássicas, mas esse colete com a camiseta me parecem bem modernos

assinatura pnmp

Anúncios

É Hora de Aventura

Hora de aventura

Pra animar um fim de semana não muito legal

Em um final de semana cinza por motivos pessoais, nada adicionou um pouco mais de cor do que o game bobo de Hora de Aventura: Ei Rei Gelado! Por que você roubou nosso lixo?!! (Adventure Time: Hey Ice King! Why’d you steal our garbage?!!) , para 3DS.

O nome do jogo já dá o tom do que esperar quando ligar o portátil

O nome do jogo já dá o tom do que esperar quando ligar o portátil

O jogo é de fato muito bobinho e cheio de piadinhas de duplo sentido, como o desenho, pegando referência nos clássicos de rpg e aventura. A história não poderia ser mais doida: o Rei Gelado resolveu roubar a lixeira do Jake e do Finn e propõe uma aventura para os 2 em busca da lixeira, no qual ele vai utilizando o lixo pra tentar fazer uma princesa de Lixo. Pra quem assiste o desenho e sabe que tem princesa cachorros, retalhos e doces e até nuvens rosas com vozes de homem, nada muito diferente, né?

O jogo é no estilo sidescroll durante as fases, mas a escolha dos cenários a explorar é no esquema mapa ao maior estilo Zelda 2. Ao longo dos cenários você vai visitando cidades e dungeons, cumprindo pequenos objetivos dos personagens e da história principal para avançar a outros trechos do mapa. Jake e Finn vão ganhando novas habilidades e ataques, assim como melhorando o status de hp, força ou velocidade também, com direito a jingle quando pega item de Level Up.

O jogo lembra muito Zelda 2, com exploração de mapas, mas com fases em ação lateral

O jogo lembra muito Zelda 2, com exploração de mapas, mas com fases em ação lateral

Uma pu$@ merda o jogo ser tão curto, em cerca de umas 5 ou 6 horas já estou com mais de 75% completo, embora eu não saiba o que habilita terminar o jogo, mas to me divertindo bastante. Infelizmente não tem opção de legendas ou áudio em português, mas se você sabe inglês, vai rir só de ler os diálogos e imaginar as vozes nacionais interpretando-as.

O jogo não é tão barato, 20 dólares na E-Shop da Nintendo, um tanto caro para os padrões comuns, mas considerando os preços exagerados que são cobrados nos jogos do 3DS, foi até um preço bom. Se quiser testar, tem a demo também pra baixar, depois você decide se arrisca pagar esse valor em um jogo relativamente curto e caro, mas divertido. Sei que eu curti.

Para os que não tem um 3DS, Hora de Aventura saiu também para o DS.

assinatura pnmp


Heroes of Ruin, um jogo diferente na galeria do 3DS

Para quem esperava algum lançamento diferente do que está acostumado no 3DS, talvez Heroes of Ruin seja o jogo que você esteja esperando. O game da Square Enix tem um estilo bem parecido ao de Diablo, e seu foco é na experiência multiplayer. Claro que o jogo pode ser aproveitado no modo single player, mas pelo que li até agora, o grande barato é o multiplayer para até 4 pessoas.

Um joguinho “diablo like” é sempre bem vindo

Ambientado em um mundo em ruínas (duuuh), Ataraxis, o rei local, está com uma maldição que o colocou em sono profundo, e seu herói é um dos convocados a salvá-lo da condição.

4 classes diferentes te permitem  criar um personagem diferenciado, alem de algumas opções de customização como textura de pele e corte de cabelo. Além disso tudo, diferente do que se espera de um jogo assim em portáteis, equipamentos terão aos quilos, fora a árvore de habilidades, que vai te permitir escolher no que “bombar” o teu personagem.

As quatro classes do jogo: Savage, Gunslinger, Alchitecht e Vindicator

Pelos vídeos de demonstração que vi do game até agora, ele está bonito para um 3ds, mas a impressão que tive é de que as movimentações dos personagens estão um pouco esquisitos, espero que eu esteja enganado, porque se o jogo for bom, e um dia eu comprar um 3ds, esse jogo entra fácil na minha wishlist. Jogos estilo Diablo ou Baldur’s Gate: Dark Alliance muito me agradam.

O jogo sai no dia 26 de junho.


F%$#ing News – 06/12/2011

 World of Warcraft sabor feijoada já no mercado

Relaxa o c*zinho aí, não é nenhuma inserção culinária nova com pedaços de orcs no mercado não. É que hoje foi o lançamento oficial da versão brasileira de World of Warcraft. Com direito a festa de lançamento e tudo mais em São Paulo, a versão nacional vem com todos os nomes de locais traduzidos e dublados em português, e por mais que pareça estranho a princípio, ficou bem dublado com uma equipe profissional.

A versão nacional vem com o jogo original e mais a expansão Burning Crusade, e mais 1 mês de acesso grátis por 29,99 reaus. Outros modelos de pagamento trimestral e semestral também estão disponíveis, além da assinatura anual, que também dá direito a receber Diablo 3 de graça quando lançar. Considerando quanto tempo eles demoram em produção de cada jogo, cê vai ter muito tempo pra enrabar os delicados da aliança.

Blizzard demonstra interesse em plataformas iOS

Falando em Blizzard,Greg Street, membro da empresa e conhecido nos forums da mesma por Ghostcrawler, deixou 2 comentários indicando um certo interesse da empresa por lançar versões de seus jogos nos aparelhos da Apple.

Todo mundo que conheço tem um iPhone e/ou um iPad, então nós somos grandes fãs dos aparelhos. Se conseguíssemos fazer as mudanças certas nos jogos para isso funcionar, certamente é algo que estaríamos interessados. Não é algo que vocês verão dentro de uma ou duas semanas, mas é o tipo de coisa que estamos sempre de olho.

Já espero ansioso pelo título que me fará mudar Infinity Blade como meu jogo favorito na plataforma.

Fonte: Starcraft 2 Brasil

Nintendo pode fechar o ano pela primeira vez no vermelho

É, não tem Zelda ou Mario Land 3D que segure o ano da Nintendo, pelo visto. É a primeira vez na história da empresa em que fecha o ano no vermelho. Os motivos apontados para o possível prejuízo da empresa são o aumento histórico do yen no mercado econômico, que forçou o governo japonês a intervir na economia, e a fraca recepção do 3DS no lançamento. Também foi sugerido que outro fator seria a popularização das plataformas iOS e android como aparelhos para jogos aumentando a concorrência. Francamente, com o valor de laçamento que foi o do 3DS, e mais o Wii-U, que é um aparelho futuro correndo sério risco de ficar na frente dos concorrentes atuais, mas atrás dos concorrentes posteriores e que não devem estar longe de lançar, acho que a Nintendo vai ter que triplicar seus títulos de Mario, Metroid ou Zelda pra segurar as pontas.

Fonte: Folha.com


%d blogueiros gostam disto: