Arquivo da tag: Vita

Gamescom: Mais algumas histórias

gamescon

Mais notícias vão aparecendo, e por aqui vamos comentando:

1. Trailers, trailers e mais trailers

A Blizzard enfim apresentou novidades para Diablo 3,  e não estou falando da versão dos consoles, mas da primeira expansão da versão de PC. Intitulada Reaper of Souls,  a expansão vai ter foco em Malthael, o Arcanjo da Sabedoria, desaparecido desde a expansão de Diablo 2 e recém surgido como anjo da morte em D3. Além do enredo, RoS trará também como novidade a classe de personagem do cruzador, que tem o foco em equipamentos pesados e magias de suporte. Nos dados técnicos, você poderá elevar seu char até o nível 70, além de acrescentar mais skills e magias para as classes já existentes do jogo, fora outras alterações nos mapas, missões e modos de jogo.

Muita gente reclamou de D3, particularmente eu me diverti muito e joguei feliz até terminar a história. Não sou o tipo de player que fica rejogando por mais milhares de vezes subindo mais o nível e zerando 3, 4 vezes, etc etc etc, pra poder opinar do pós jogo da primeira rodada, mas a mim o jogo diverte como o primeiro e o segundo divertiram.

Um novo (ou não) trailer de Lords of Shadow 2 foi apresentado pela Konami, o vídeo inteiro é praticamente o que já foi visto na E3, com a diferença de um pequeno detalhe: Ao final do trailer tem uma cena extra na qual apresenta um novo Belmont, Victor. Pra quem não conhece, Victor Belmont seria um dos protagonistas de Castlevania Resurrection, jogo que estava sendo produzido pela Konami americana e foi cancelado para Dreamcast por chilique ordem do Iga, que foi  escolhido o responsável oficial pela série no meio da produção na época. O enredo envolvia viagens no tempo, ou ao menos 2 linhas do tempo diferente, e teria além de Victor, Sonia Belmont, a protagonista de Castlevania Legends para Gameboy Color, e “ex-mãe” de Trevor Belmont, de Castlevania 3. Castlevania Legends foi limado da timeline oficial também por chilique ordem do Iga.

Sonia e Victor Belmont, no cancelado Castlevania Resurrection, para Dreamcast

Sonia e Victor Belmont, no cancelado Castlevania Resurrection, para Dreamcast

O que esperar disso? Não sei. No original, a história de Victor se passava em 1666, pelo pouco que mostrou, eu não ousaria dizer se o enredo dele se passa no presente ou no passado. O pior da história é que a Konami adiou Lords of Shadow 2 de 1 de dezembro agora para 27 de fevereiro de 2014. E tome ansiedade para o fanboy de Castlevania aqui…

Eu cheguei a postar a foto e citar ele entre os futuros títulos do Ps4 ontem. Não houveram muitos comentários a respeito do jogo, mas a ambientação me lembrou muito Ico e Shadow of The Colossus, se seguir por essa linha, seria um dos meus must have imediatos no lançamento sem exagero algum. A Tequila Works, produtora do game, é responsável pelo injustiçado Deadlight, um game muito bom que não caiu nas graças de crítica ou público.

A série Arkham foi uma das melhores coisas que joguei nessa geração disparado. Não espero menos de Arkham Origins, muito embora esteja receoso de não ter mais o dedo da Rocksteady Studios na brincadeira. Provavelmente o enredo deve ter uma boa dose de Batman: Ano um como referência, e é uma excelente influência.

Pelo visto a Ubisoft quer entrar na onda dos jogos de peleja, só que o game será para Kinect, ou pelo menos aparenta ser por esse teaser. Fighters Within, apresentado para o XOne promete muito sangue virtual. Para os extremistas do naipe “a culpa é dos jogos violentos” repare na pequena caixa laranja escrito “check the classification”, traduzido para o bom português como CHEQUE A CLASSIFICAÇÃO, antes de vir falar qualquer merda quando aparecer o próximo escândalo de violência no qual o suspeito tenha também o hábito de jogar. Mas antes disso, cheque primeiro a criação e o convívio com família e amigos dessa pessoa. Pronto, acabou o momento sapo, só achei apropriado pela quantidade de sangue no vídeo e por ser da Ubisoft, detentora de Assassin’s Creed.

2. Mais um pouquinho sobre a nova fase do Vita

Só pra mostrar que a Sony não estava só dando uma leve maqueada quando aparentava estar largando o Vita de mão mas dizia que não, esses são os futuros jogos de estúdios independentes que sairão para ele

  • Age of Zombies (BlitWorks/Halfbrick)
  • A-Men 2 (Bloober Team)
  • Assault Android Cactus (Witch Beam)
  • Avoid Droid (Infinite State Games)
  • Broken Sword: the Serpent’s Curse (Revolution Software)
  • Eufloria HD (Omni Systems)
  • Fez (Polytron Corporation)
  • Final Horizon (Eiconic Games)
  • Flame Over (Laughing Jackal)
  • Gravity Crash Ultra (Just Add Water)
  • Gunslugs (Abstraction Games)
  • Hotline Miami 2: Wrong Number (Dennaton Games & Devolver Digital)
  • Joe Danger 1 (Hello Games)
  • Joe Danger 2 (Hello Games)
  • Kick & Fennick (Green Hill Studios)
  • Rogue Legacy (Cellar Door Games)
  • Samurai Gunn (Teknopants)
  • Supermagical (Tama Games)
  • Switch Galaxy Ultra (Atomicom)
  • Table Top Racing (Ripstone)
  • The Binding of Isaac: Rebirth (Nicalis)
  • Volume (Mike Bithell)
  • Wasteland Kings (Vlambeer)

Alguns deles já são conhecidos pela Steam (Rogue Legacy) ou pela Live (FEZ), mas uma boa parte aí será novidade, e no portátil eu espero que dê muito certo, o Vita é uma ótima plataforma pra isso se o público aderir.

Espero ter mais alguns resumos a fazer amanhã, mas se não tiver, ainda tô devendo um pequeno review de Dragon’s Crown, que estou jogando dedicado desde o lançamento 2 semanas atrás, e outros comentários mais do mercado.

Inté!

 

EDIT: Hoje a Konami divulgou algumas imagens mais de Victor Belmont, e juntando isso, mais uma análise com um pouco mais de calma das poucas cenas que ele aparece no trailer, pelas roupas, parece que Victor será um Belmont contemporâneo. Tudo bem que tem uns pedaços de armadura e tal, mas ele tá usando um colete que e camiseta que parecem roupas da era atual. Vejam por vocês mesmos.

Victor Belmont é primo do Desmond, de Assassin's Creed?

Victor Belmont é primo do Desmond, de Assassin’s Creed?

As botas de metal podem até ser clássicas, mas esse colete com a camiseta me parecem bem modernos

As botas de metal podem até ser clássicas, mas esse colete com a camiseta me parecem bem modernos

assinatura pnmp

Anúncios

Gamescom: Um pequeno (?) resumo

gamescon

Trabalhando o dia todo e com internet bloqueando conteúdos com temática de games ou de redes sociais, fica difícil conseguir acompanhar os grandes eventos ao longo do dia. Falta tempo mesmo pra conseguir assistir de noite e assimilar as informações dadas, mas vamos lá…

1. Datas de lançamentos de PS4 e o que virão de jogos de início para ele e XOne

Sony finalmente confirmou a data de lançamento para o seu novo console, dia 15 de novembro nos Estados Unidos e 29 de novembro na Europa e também no Brasil, mudando os planos de lançamento conjunto nosso com o americano.

Rime, exclusivo para PS4... Uma das lindezas anunciadas dos pequenos estúdios para a próxima geração

Rime, exclusivo para PS4, uma das lindezas anunciadas dos pequenos estúdios para a próxima geração.

Junto do console serão lançados uma boa lista de jogos, tais como Drive Club, Knack ou War Thunder.

Já para o XOne data de lançamento ainda não tem, mas dos lançamentos, algumas novidades como Crimson Dragon, Killer Instinct ou Ryse estarão lá na mesma data do console. O XOne será lançado na Europa com Fifa 14, me pergunto se o farão no resto do mundo.

2. A Sony enfim resolveu dar mais atenção ao Vita

Parece que a estratégia de abraçar os pequenos estúdios vem tomando um rumo. Diversos dos jogos indies a sair terão exclusividade entre os consoles, para os aparelhos da Sony. Alguns sendo multi (Ps Vita/Ps4) e outros exclusivos do portátil, é o caso de Murasaki Baby, joguinho bizarro que parece fazer bom uso das funções touch e giroscópicas do aparelho e Big Fest, jogo no qual você é um produtor de eventos musicais.

Além disso foi anunciado um corte no preço, o Vita passará a custar 199 dólares. Memory cards também terão preços reduzidos.

3. Demais anúncios da feira

Videozinho de gameplay de Titanfall só pra babar no ritmo frenético desse shooter futurista com mechas

E mais um Fable, agora permitindo jogar co-op com 4 jogadores, e ainda poder escolher o caminho do vilão, utilizando do smartglass pra ajudar a controlar lacaios e atrapalhar os heróis

E lá vem The Sims 4 com um teaser…

… e com um vídeo apresentando as novidades

Borderlands 2 será lançado também para o Vita…

borderlands-2-ps-vita-1377027850017_450x253

4. Opinião

Gostei bastante do lineup das 2 empresas para o lançamento. Se os erros do laçamento do PS3 fizeram a Sony aprender o suficiente pra recuperar a hegemonia da marca Playstation, a dedicação quase que exclusiva ao kinect nos últimos 3 anos e o planejamento furado da Microsoft para o XOne também fizeram ela correr atrás do prejuízo pra agradar aos fãs. Quem sai ganhando com essa história? Nós! A Sony tá dando toda a atenção possível a grandes e pequenos estúdios, evoluindo o tratamento com estúdios independentes, e trazendo milhares de novidades para os gamers.

A coisa melhorou tanto que resolveram dar a atenção em um rumo que acho muito bom para o Vita. Se o planejamento usando gráficos ultra avançados não deu certo, mesmo tirando o diferencial de interatividade para o concorrente da Nintendo, ao menos os novos jogos indies serão uma ótima (e barata) opção para jogar no portátil, e isso muito me interessa. Fiquei muito curioso para jogar Murasaki Baby, e acho até que seria hora de voltarem com os jogos diferenciais do predecessor, o psp. Games como Patapon ou Loco Roco seriam excelentes no Vita. Isso sem falar na queda de preço né, o que já estou vendo a Nintendo sendo obrigada a baixar o preço do 3ds caso o console da Sony passe a vender mais com essa redução e os novos títulos independentes. Finalmente vão baixar o preço dos cartões de memória também, não tem nada mais babaca do que inventar uma mídia exclusiva pro seu aparelho e colocar o preço dela lá em cima, te fazendo ficar em dúvida se compra um cartão ou um ou 2 jogos novos.

Por outro lado a Microsoft vai ter que correr atrás do prejuízo depois de tanta lambança. Tudo que foi planejado inicialmente pro XOne foi retirado aos poucos, inclusive a recente desobrigação em usar o Kinect sempre. Só espero que agora lancem uma edição sem ele, pra baratear o preço do console, se é que isso faz diferença, tendo uma máquina virtualmente mais fraca que o PS4. Mas no quesito jogos, a Microsoft ainda tem uns trunfos, não faz parte dos títulos de lançamento, mas se tem um jogo que vai me fazer sentir falta de ter o XOne até eu ser rico pra sustentar os 2 aparelhos, ou uma alma caridosa resolver me presentear, ou os 2, é Titanfall. Esse vídeo apresentado acima me deixou empolgado. Gosto de shooters, não é meu gênero favorito, mas quando o jogo chama a atenção, f&#@-se se é mais um no gênero. Correria frenética, pulos pelas paredes, utilização ou não de mechas, matar pilotos inimigos que ejetam de mechas, matar soldados inimigo quando você ejetar do seu mecha, e por aí vai… Me parece que será uma correria louca!

Killer Instinct parece que será ainda mais roubada do que se esperava. Serão lançados 6 personagens extras na primeira leva, cada um por 5 dólares (Jago é o único liberado com o jogo “gratuito”), pra levar um pacote com os 6 você pode pagar 20 dólares. Mais personagens serão lançados posteriormente com mais packs… Sério, to sem entender essa estratégia da Microsoft com Killer Instinct, isso tem um cheiro de cagada pesada com uma franquia que não merecia isso em sua volta.

O medo do futuro controle de conteúdo e drm’s que parecia começar a entrar no mercado nessa geração tem dado espaço a ansiedade e expectativa. Sei que não comprarei um console da nova geração tão cedo (ylods e 3rls me ensinaram nessa a não entrar em barco furado sem antes esperar um tempo hábil para testes), mas vou ficar passando uma vontade feroz vendo o novo desempenho dos futuros consoles. Agora tá um momento com cara de véspera de próxima geração de verdade.

Que venha a nova geração!

assinatura pnmp


O que o Inafune anda aprontando

“Nada de Megaman lá na Crapcom? Ainda bem que eu tô fora”

Desde que Keiji Inafune, criador do Mega Man e de uma  k-r@%&@$@ de outros títulos importantes da Crapcom, deixou a empresa ficou uma curiosidade de que jogo ele iria fazer com um estúdio próprio e independente. Uma coisa aqui e outra ali foram surgindo, e todas com uma proposta diferente e, a princípio, interessante. Dê só uma olhada nelas:

Soul Sacrifice

Título exclusivo pro Vita, um jogo de ação multiplayer, aos moldes de Monster Hunter, onde você sacrifica partes do corpo, ou mesmo sua alma, para poder utilizar magias contra monstros e demônios bizarros que encarar. Do pouco que vi, pra mim ainda será um must have no Vita, o que é algo raro ainda, no aparelho. Infelizmente foi atrasado para 2013 no Japão, o que provavelmente atrasará ainda mais a versão ocidental.

J.J. Rockets

Já disponível para Android e futuramente para iOS (infelizmente, nada de consoles ou portáteis :/ ) J.J. Rockets, segundo a definição de um amigo, que não achei outra melhor, é quando o Megaman tem um filho depois de ser enrabado pelo Viewtiful Joe. O visual e o feeling lembram muito o dos personagens da Crapcom.

Me diz se não é Megaman vs Guts Man?

Kaio: King of Pirates

Estava previsto para esse ano, mas até agora nem sinal de vida, ou notícias novas. O game tem como protagonista um pinguim pirata e é um rpg de ação, com uma zona grande de personagens, que segundo o próprio Inafune, a referência foi o Romance dos 3 Reinos, aquele mesmo de referência que tem o rpg de mesmo nome, e a tambem pra Dynasty Warriors. O game sairá para 3DS

Yaiba

Olha essa arte e pense se não tô empolgado pra ver esse game rodando

Um dos mais novos anúncios com o dedo do Inafune, e talvez o que eu tenha ficado mais empolgado. O game tem zumbis, ninjas e provavelmente uns robôs. Não preciso nem dizer que com essa premissa, espera-se ação e fatiação ininterrupta né? Alguns comentaristas de games estão considerando que será um Ninja Gaiden Z. Ansiosíssimo pra fatiar zumbis e andar pelas paredes, infelizmente, nenhuma data sobre isso foi divulgada ainda.

EDIT: Yaiba foi apresentado pela Tecmo na TGS como Yaiba: Ninja Gaiden Z. Um game baseado no universo de NG, onde você não joga com Ryu Hayabusa, muito pelo contrário, sua obrigação como Yaiba é matá-lo. Me pergunto se isso não é uma ofensa velada para Itagaki, criador de Ninja Gaiden, que deixou a Tecmo faz alguns anos. Seja como for, do want to playar!

Enfim, Inafune pelo visto anda colocando a mão na massa no que diz respeito a criação de jogos, mais do que apenas ajudar aqui e ali, como estava fazendo na Capcom. Não tem como avaliar seus jogos porque até agora,  só J.J. Rockets saiu e é um jogo para smartphones. Espero muito que a nova fase do mestre da Capcom renda muito bons frutos. Bem que podia ser possível ele comprar os direitos sobre o Mega Man um dia, ao menos ele colocaria o personagem pra trabalhar direito, não apenas em cheiros pra ambientes, trilhas sonoras ou versões zoadas em jogos de luta.


F&%$ing News 11/01/2012

Sony acabou com a put@%$@

Nem durou muito a “boataria forte” sobre o PS4 ser apresentado na E3 desse ano. A Sony já divulgou uma nota de que não vai rolar porr@ nenhuma de apresetação disso. Sinceramente eu queria que isso fosse apenas uma estratégia pra “causar surpresa” apresentando escondido o aparelho na E3.

Falando em Sony, e o Vita no Brasil hein?

A Sony divulgou hoje também que no Brasil o Vita terá uma edição especial, vindo com um cartão de 4gb e mais o jogo ModNation Racers totalmente em português. Eu tava querendo uma edição especial era de preço, já que não falaram PN sobre isso ainda. O aparelho acompanha o lançamento americano, marcado também pro dia 22 de fevereiro.

Diablo III nos consoles

Esse é uma boa (ou não) notícia. Aparentemente um profissional da Blizzard teria soltado no twitter que existe um responsável pela versão de consoles do jogo. Minha dúvida é: PS3 e X360 suportam rodar o bicho? Diferente do pessoal que joga em PC’s fracos em que desligam tudo que é opção gráfica pra rodar, nos consoles ninguém quer jogar versões meia boca dos jogos. De qualquer forma, Diablo combina mais com pc do que com videogame.


Portáteis da nova geração: Parte 2 – PS Vita

Vamos dar prosseguimento ao tópico sobre os portáteis. E agora é a vez do aparelhinho da Sony.

O Vita chega pra substituir o PSP, aparelho que está no mercado desde 2005. O seu antecessor teve um bom destaque por conta do desempenho gráfico e de funções que o aparelho oferecia. O primeiro choque que tive, e acho que isso aconteceu com todo mundo que tava acostumado com GBA’s, DS’s, etc, foi o tamanho da tela. Da mesma forma, o aparelho como um todo oferecia um bando de buginganga de função padrão Sony a mais do que apenas a de jogar (interprete isso como bom ou ruim a seu critério).

Da mesma forma como o PSP, o Vita traz novamente esse bando de funções extras, porem em versão upgrade. Gráficos bem robustos e de destaque, microfone embutido, 2 câmeras, sendo uma traseira e outra frontal, sensores giroscópicos de movimento. Dessa vez, a Sony incluiu também a função multitoque na tela, além de um sensor de toque extra na parte traseira do aparelho. O Vita inclui ainda um segundo analógico, que vai facilitar bastante a recepção de jogos de tiro em primeira pessoa, por exemplo.

Dessa vez, além do Wi-Fi, o aparelho acrescenta o serviço 3g, para acesso a internet de qualquer lugar e GPS. Aliás, em fator conectividade, o Vita permitirá também que você possa continuar sua partida no PS3 do mesmo ponto onde você parou no portátil. Outras regalias da era da comunicação em redes sociais também farão parte, como o LiveArea Screens, que te permite conversar com os amigos, ver informações e coisas do tipo.

O formato dos jogos será de 2 formas: 1 através de cartões de memória feitos especificamente pro Vita, e a segunda de forma virtual, através da PSN. Para armazenamento, o aparelho conta com entrada para cartão de memória, mas esses são apenas pra salvar dados do jogador e de jogos. O serviço de retrocompatibilidade com o PSP também será fornecido. Há ainda comentários de que a Sony estuda uma forma de converter os jogos em UMD para o Vita, agradando aqueles que ainda guardam seus discos comprados antes do fornecimento de jogos virtuais do PSP.

Meus comentários: Adianto aqui, que posso parecer tendencioso a favor do PS Vita, mas preciso inicialmente explicar que os comentários sobre ele são baseados inteiramente em perspectivas através das características que o aparelho terá. Isso não inclui possíveis problemas de mercado que possam vir a ter, como falta de jogos, botões que quebram fácil, sinal 3g falha o tempo todo, e outras coidas do tipo que só é possível comentar depois de ele chegar ao mercado e ser posto em teste, como acontece com o 3DS.

Vamos em frente então. Novamente o desempenho gráfico do aparelho é muito fod¨%$, isso chamou a atenção de quem viu as demos de apresentação do aparelho nas convenções de games. De fato, os comentários que estão sendo feitos, é que ele é igual, ou superior ao PS3, o que é bonito pra car%@$.  Analisando friamente, o PS Vita tem tudo pra conseguir superar o 3DS nessa geração, e digo isso, porque dessa vez, a Sony não está com um aparelho tão diferente assim, como aconteceu entre DS e PSP, no qual o DS instaurou o “jogar diferente” e “jogos mais simples, mas que divertem”, como um dos fatores diferenciais do aparelho. A Sony reformulou o produto a partir do que dava certo para Nintendo e Apple, visto o sucesso que o DS alcançou e que iPhone/pad/pod tem hoje para jogos em portáteis.

Acho que poder usar conexão via 3G vai trazer um plus para aqueles que querem jogar com amigos a distância. Em países como Japão ou EUA, eu imagino que deva ser fácil encontrar na rua alguém pra jogar. No Brasil isso não é tão frequente, então poder jogar com aquele seu amigo que mora do outro lado da cidade, ou em outro país, ou simplesmente tirar um vs online com qualquer um do mundo, no intervalo do trabalho vai ser mais prático com o 3G. O ponto que talvez seja negativo do serviço, pelo menos em relação ao mercado brasileiro, é que se você importar o aparelho, talvez tenha problemas por ele utilizar o 3G, como o da At&T que vem no modelo americano, por exemplo. O aparelho é região livre, mas o serviço 3G não necessariamente é.

Ainda sobre comunicação, acho bacana poder continuar o seu jogo do Vita no PS3, mas não caracterizo isso como uma coisa essencial, afinal, se eu comprei um portátil eu prefiro a praticidade de jogar nele.

Eu espero muito que a Sony ponha em prática mesmo essa ideia do conversor de UMD’s do PSP pro Vita. Isso ajuda muita gente que ainda tem sua coleção. Outra coisa que espero bastante é que a Sony comece a venda de jogos virtuais do PS2.

Em relação aos títulos exclusivos, o PS Vita parece ter uma boa lista inicial, não são muitos títulos, mas logo de lançamento o aparelho recebe alguns já bem conhecidos pelos gamers. O aparelho sai agora em Dezembro no Japão e fevereiro na Europa e Américas.

A pior coisa dele provavelmente será o preço. A versão sem 3g custará 249 dólares nos EUA, enquanto a versão completa com serviço 3G sai por 299, um tanto salgado. O aparelho está confirmado no Brasil também pra fevereiro, mas nada se falou de preço. Em se tratando de valor em cima de eletrônicos por aqui? Chuto uns R$ 1200 o mais simples e R$ 1400 a versão com 3G, e to chutando por baixo ainda. Nessa hora, eu espero muito que a versão americana não venha com a trava pro serviço 3G, porque é triste dizer isso, mas aconselho muito que você importe o aparelho.

Espero não ter sido tão tendencioso assim pro Vita, mas como eu disse: O que falei é baseado apenas em expectativas, e nessa hora, faz falta a receptividade do mercado pra poder ter mais base na hora de opinar.

Finalizando, é pura frescurite coisas do tipo “o Vita é melhor que o 3DS” e vice versa, isso é coisa de quem colocou Halls no próprio anel aromático. Ambos vão ter características próprias, como o possível uso da tela 3d pro Super Mario Land 3D no 3DS. O que importa é o quanto o aparelho vai te divertir, você tem que avaliar o seu perfil e os jogos pra cada aparelho antes de decidir comprar, e isso se chegar a um ponto em que tenha que escolher um ou outro. No fim eu digo, se puder, escolha os 2, jogar um God of War pode ser tão bom quanto jogar Metroid, e você só pode fazer isso no aparelho específico que o jogo sair.

Títulos a ficar de olho no Vita:

  • Uncharted: Golden Abyss
  • Shinobido 2
  • Ultimate Marvel vs Capcom 3
  • F1 2011
  • Touch my Katamari
  • Ninja Gaiden Sigma
  • Disgaea 3: Return
  • Little Deviants.

%d blogueiros gostam disto: